Em uma decisão histórica tomada na última sexta-feira (26), a Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu em favor do casamento gay legalizado.

O resultado 5-4 legaliza uniões do mesmo sexo para os 12 estados que ainda não fizeram, e ainda confirma a sua legalidade em outros 38 estados que já permitiu.

A maioria da decisão foi composta por juízes liberais Ruth Bader Ginsburg, Stephen Breyer, Elena Kagan, Sonia Sotomayor e Anthony Kennedy. Os contrários foram Clarence Thomas, Antonin Scalia, John Roberts e Samuel Alito. 

Num parecer escrito pelo juiz Kennedy, a maioria disse que o casamento gay cai sob o devido processo e a igualdade perante a lei, conforme a Constituição.

Publicidade
Publicidade

Scalia, que escreveu o parecer divergente, argumentou que a decisão mostra que a autoridade do Tribunal é muito ampla e poderosa, a ponto de ser uma "ameça para a democracia americana".

Apesar do resultado, procuradores de alguns estados têm dado respostas que variam de recusa absoluta até o reconhecimento da decisão, e para o conselho de que eles vão atrasar a capacidade dos casais homossexuais a se casar.

Embora o procurador texano Ken Paxton, tenha pedido para os funcionários do estado de se abster de dar licença, a recomendação de Paxton não impediu os funcionários de emitir os certificados até agora. 

Em Louisiana, o escritório do procurador-geral Caldwell disse que irá ignorar a decisão, já a decisão da Suprema Sorte afirma que os estados devem começar imediatamente permitir que casais homossexuais se casem.

Publicidade

Além disso, o escritório de Louisiana apenas prometeu "emitir uma declaração" contrariando a Suprema Corte para uma exigência explicitamente  de ser "final e eficaz"

Enquanto isso no Mississippi, o procurador-geral Jim Hood disse que casais homossexuais terão que esperar um pouco mais antes de serem capazes de se casar. Em um comunicado, Jim disse, devido à "apelação" da Suprema Corte, os casais homossexuais não podem neste momento se casar.  

Apenas do burburinho causado pela legalização do casamento igualitário nos Estados Unidos, países como Brasil, Canadá, Uruguai e até a pequena Ilha Pirtcairn  já havia legalizado o casamento igualitário, e muitos não entenderam o motivo de tanto alarde, a explicação é simples, trata-se da maior 'democracia' do mundo.  #Governo #Comportamento #EUA