Sites na internet voltados a públicos específicos sempre existiram e sempre existirão. É natural que cada um procure conteúdos apropriados a seus próprios gostos. Mas quando um site se autoproclama "rede social" cristã e traz como primeira regra que todos os participantes sejam cristãos e que todos estão sujeitos a banimento do site, caso se comprove atividade imoral, eu pergunto: isso, de fato, é uma forma cristã de socializar?

O Faceglória é uma espécie de Facebook evangélico criado para agradar evangélicos conservadores que se sentem chocados com publicações nas redes sociais comuns. Em outras palavras, é uma redoma de vidro, criada para que os "crentes" se afastem do mundo e tenham a experiência "normal" de acesso às redes sociais sem se "contaminar" com as "impurezas" do mundo.

Publicidade
Publicidade

É, as aspas são irônicas...

Às vezes, pode parecer prepotência querer emitir uma #Opinião sobre ser ou não uma atitude cristã criar tal rede social, por isso vou me limitar a comentar do ponto de vista bíblico que, a meu ver, coincide com a real posição cristã.

Em primeiro lugar, acho difícil chamar de rede social um site exclusivo para cristãos. Primeiro, porque ninguém é capaz de ver o coração de uma pessoa para dizer se ela é cristã de fato ou não. Pelo menos isso, um dos criadores do site, Acir Santos (prefeito de Ferraz de Vasconcelos e membro da Congregação Cristã do Brasil), admite, quando diz: "Na verdade, não tem como fazer essa certificação", conforme publicado no portal G1. Depois, porque não parece ter sido essa a orientação do próprio Jesus com respeito aos cristãos.

Em dado momento, no Evangelho segundo João, temos Jesus orando para que não tire os discípulos do mundo, mas que os proteja estando eles no mundo.

Publicidade

Jesus não quer que o cristão se esconda numa redoma de vidro, mas que viva no mundo com os demais. Por quê? Para serem suas testemunhas neste mundo. No final do Evangelho de Mateus, Jesus diz aos seus discípulos que, conforme eles estiverem indo pelo mundo, que sejam suas testemunhas. No início do livro dos Atos dos Apóstolos, ele diz aos discípulos que eles serão suas testemunhas até os confins da terra.

Ora, como ser testemunha de Jesus para o mundo se você se esconde numa redoma de vidro onde o mundo não consegue penetrar nem que queira? Portanto, o Faceglória pode ser chamado até de clubinho ou como se queira, mas dificilmente poderia ser chamado de "rede social". Pelo menos essa não parece ser uma maneira cristã de socializar, que é justamente o que o Faceglória se propõe a ser.

http://br.blastingnews.com/sociedade-opiniao/2015/06/facegloria-o-facebook-envangelico-00429975.html

http://br.blastingnews.com/sociedade-opiniao/2015/07/facegloria-o-facebook-evangelico-pode-estar-com-os-dias-contados-00471427.html #Religião #Comportamento