O refrão da canção ressoou nos corações dos paulistas e agora pode ser relembrado: Paulistas as armas / Paulistas as armas / Pelo bem do Brasil. No dia 9 de Julho de 2015, será comemorado o 83º aniversário do levante armado do Estado contra o governo de Getúlio Vargas, que ocorreu em 1932. A data é motivo de orgulho para os paulistas. Poucos que viveram de forma consciente naqueles dias ainda estão vivos, o que não acontece com a memória cultuada de um fato de inegável valor histórico. Os acontecimentos políticos da atualidade, sem conhecer a realidade do que significa um levante, procuram propor nova revolução constitucionalista, o que se espera que não aconteça.

O levante foi uma resposta paulista à revolução de 1930 que, na ocasião, acabou com a autonomia que os estados gozavam apoiados pela constituição de 1891.

Publicidade
Publicidade

Ela impediu a posse de Júlio Prestes na presidência da República. Este levante ensejou a subida ao poder de Getúlio Vargas, que aboliu a antiga constituição. O combate durou 87 dias e apresentou saldo oficial de 934 mortos, que nas estatísticas não oficiais aumenta para 2.200, com danos a diversas cidades do interior paulista.

Apesar de ter sido uma atitude mal sucedida, seus resultados provaram que não foi desenvolvido em vão. Se deve muito a ele para que uma nova Constituição fosse promulgada dois anos depois (Constituição de 1934). A união de políticos e intelectuais, e de diversas etnias, reforçou a eliminação de atitudes racistas que ainda existiam. As memórias refletem um tema controverso e que ainda deixa muitas pessoas confusas com o que realmente aconteceu, mas isto não invalida a comemoração de uma data que pode ser considerada como um marco de mudança significativo no papel do Estado na vida das pessoas.

Publicidade

A data foi transformada em feriado civil nos idos de 1997. Duas avenidas paulistas homenageiam o fato, a avenida 9 de julho e a avenida 23 de maio. Na cidade podem ser vistos o monumento "obelisco do Ibirapuera", que comemora o fato e presta homenagem aos mártires da "guerra paulista" que no momento representavam a rebeldia e coragem contra aqueles que manchavam a Constituição, abolida na ocasião. A data é considerada a mais importante comemoração cívica da cidade. O conflito foi considerado o último de grande porte que aconteceu em nosso país. #História

Que todos os paulistas recebam os cumprimentos e que o feriado sirva para que novas manifestações políticas aconteçam.