Entende-se que a maneira pela qual a sociedade vê política não é só culpa da má administração dos gestores do Estado. O Estado é formado pelo poder do povo, que o exerce através de seus representantes para tanto, conforme determina a Constituição Federal de 1988, art.1º parágrafo único.

Ora, mas que povo? O povo que exerce um ofício para o qual não está preparado, ou para o qual não tem interesse de realizá-lo? Muito se critica essa forma de eleger nossos representantes, mas considerando o que deixa claro a Constituição Federal de 1988, no parágrafo único do art. 1º, não há que se falar em algo errado.

O povo só está escolhendo quem ele acredita que o representa da melhor forma.

Publicidade
Publicidade

Talvez o que deve ser analisado é se o povo está escolhendo esses representantes de forma pensada ou se o povo consegue pensar a respeito da escolha dos seus representantes.

Nessa linha, indaga-se no sentido de saber se alguns segmentos da sociedade, ou alguns representantes do povo, queiram, de fato, um povo que pense como deveriam pensar? Querem um povo mais sábio, será? A impressão que se sente é no sentido negativo da resposta.

Com isso, acredita-se que não só os representantes do povo são os culpados por existir, em nosso país, uma sociedade que não dê muita importância à política, mas também alguns segmentos da própria sociedade agem nesse sentido. Observa-se, dessa forma, que o povo já é propositadamente guiado a agir assim.

O Brasil é conhecido como o país do futebol, do carnaval, etc.

Publicidade

Só não é conhecido como o país com os melhores índices em educação, saúde e desenvolvimento. Nota-se, assim, que o povo é condicionado a ser assim e a agir assim.

Em uma sociedade em que o patrimonialismo faz parte da herança cultural adotada até hoje, não há que se falar que a culpa seja, somente, daqueles que votam mal, ou daqueles que administram mal o Estado. A culpa é, também, daqueles que financiam, alimentam, se omitem e são convenientes com tais erros sociais.

Imagine a quem interessaria uma sociedade em que todos soubessem o que é inflação, #Corrupção, taxa selic, lobby e entendessem as consequências que a escravidão trouxe para a vida de muitos seres humanos e que tem reflexo até hoje. Nós temos uma sociedade assim? A maioria dos brasileiros sabe o que significa cada um desses termos? Tem-se uma leve impressão que infelizmente não.

Dessa forma, acredita-se muito que o maior problema da nossa sociedade é o abandono da nossa cultura, a falta de valorização dos nossos professores.

Enquanto continuarmos a manifestar apenas batendo panelas nas suítes dos nossos apartamentos e permitir que os professores dos futuros eleitores façam greve de três meses e recebam, como forma de negociação, balas de borracha e gás lacrimogêneo, continuaremos sobrevivendo em um país com os maiores índices de corrupção do mundo e, por consequência, com os maiores índices de violência. #Governo #Opinião