Naquela manhã de terça-feira, 11 de setembro de 2001, parecia mais um dia normal para os americanos. Porém, logo a tranquilidade foi interrompida por uma grande tragédia, relembrada até hoje, 14 anos depois. Naquele trágico dia, dezenove terroristas ligados a Al-Qaeda sequestraram quatro aviões e coloraram em prática o que ficou conhecida como uma das maiores catástrofes da #História mundial. 

Todos os terroristas morreram, além dos passageiros dos aviões e cerca de dois mil e setecentos civis, de vários países, que buscavam melhoria de vida e trabalho nos Estados Unidos. Dois aviões colidiram contra o complexo World Trade Center (as torres gêmeas), que vieram a desmoronar duas horas depois.

Publicidade
Publicidade

Um terceiro avião atingiu o Pentágono e o quarto caiu em um campo aberto na Pensilvânia, quando civis tentaram recuperar o controle da aeronave.

Todas as atenções do planeta se voltaram para os EUA naquele fatídico dia do ataque terrorista, e milhares de pessoas no local ficaram abismadas com o ocorrido. Uma espessa nuvem de escombros tomou conta dos arredores do World Trade Center após a queda da primeira torre. Uma cena lastimável, de pessoas desesperadas pedindo por socorro, saltando das janelas para a morte, e outras demais embaixo, desesperadas sem saber o que fazer naquele momento, sem reação.

Logo depois da queda da primeira torre, quarenta minutos depois, veio a ruir a outra torre, para o desespero de quem estava próximo ao local. Alguns conspiradores acreditam que esse ataque foi combinado.

Publicidade

Peritos afirmam que haviam cortes nas colunas do edifício, mas tudo não passa de boatos. A verdade é que esse, realmente, foi um dia que ficou gravado de forma triste na história do planeta.

Nesta sexta-feira, 11, o presidente dos EUA Barack Obama participou de um minuto de silêncio em homenagem às vítimas dessa tragédia. Familiares também terão uma cerimônia no memorial World Trade Center. Nessa cerimônia, serão lidos os nomes dos mortos em voz alta, e serão feitas várias outras homenagens. #Terrorismo #Blasting News Brasil