“E a bandeira coberta de estrelas em triunfo moverá sobre a terra dos livres e o lar dos bravos” é um dos versos do hino nacional dos #EUA, mas não é bem assim para todos os norte-americanos, principalmente para as minorias daquele país. Tanto é que mais uma cena de violência chocou a população, pois uma adolescente negra do instituto Spring Valley, em Colúmbia, Carolina do Sul é fortemente agarrada pelo pescoço e perna, por nada mais, nada menos, do que um policial branco.

O agente de segurança vira a carteira da menina e a lança ao chão para depois arrasta-la para fora da sala, com a cena tendo sido gravada por um colega de classe.

Publicidade
Publicidade

O FBI identificou o policial que se chama Ben Fields que está suspenso e diz investigar o ocorrido. Leon Lott, xerife do condado, falou à imprensa que "a estudante havia sido notificada que seria presa caso impedisse o andamento da aula e não respeitou as ordens dadas e ao resistir ela foi presa”. Enfim, uma cena como essa que pode ser anormal em alguns países, é até bem comum nos Estados Unidos.

Por outro lado, uma certa testemunha se pronunciou a uma rádio da cidade, dizendo: “jamais vi algo tão nojento assim, violência que impunha medo aos outros alunos. Um policial não deveria proteger a população em geral?”. Esta declaração recebeu o apoio da Associação de Pais da escola, que rotulou a ação do policial de “escandalosa” e "inaceitável". Se o policial pretendia manter a ordem, talvez não tenha escolhido o melhor meio de fazê-lo, pois as queixas contra a ação ganharam as redes sociais debaixo da hashtag #AssaultAtSpringValleyHigh.

Publicidade

A presença dos quadros policiais nas escolas americanas visa a “colaboração” entre as autoridades e os centros de ensino, freando os crimes, o uso de entorpecentes, diminuindo a violência e trazendo paz e segurança ao recinto. A presença da policia nas escolas dos EUA teve um incentivo maior na década de 80 quando foi aberto o combate às drogas com os agentes funcionado como exemplos positivos e guardiões de pais e professores.

Em todo o ano de 2015, uma famosa revista norte-americana editou um somatório de ocorrências de alunos que necessitaram de amparo médico depois de conflitos de diferentes magnitudes com os agentes das escolas. Conforme a mesma revista, ao menos 28 estudantes ficaram feridos e 1 deles veio a óbito depois de ser baleado.

Os governantes dos EUA têm investido milhões de dólares e destacado milhares de policiais para manter a ordem e a segurança nas escolas, mas como que por um paradoxo, muitas pessoas protestaram contra o que aconteceu na Carolina do Sul, pois não seria muita coincidência um policial branco agredir uma jovem negra? E o que é pior, estes acontecimentos sempre vem se repetindo em regiões compostas por minorias raciais.

Publicidade

A Casa Branca adotou a recomendação de se ter uma maior preparação específica desses policiais, considerando que “as injúrias poderão ser mudadas para acusações por crime quando esses agentes não são treinados no que diz respeito ao desenvolvimento infantil e do adolescente”, ou seja, talvez os EUA não seja tão assim “a terra dos livres e o lar dos bravos”. #Escola #Comportamento