A situação política e econômica do Brasil não está estável. Os brasileiros estão insatisfeitos com os últimos acontecimentos: escândalos políticos, aumento dos preços dos alimentos, energia, gasolina e IPTU. Além da má administração, uma das causas dessa situação é a crise global, que vem afligindo países desenvolvidos e emergentes, entretanto, o Brasil não vem se restabelecendo como deveria e como os outros estão.

Mas será que uma única pessoa é responsável por todos esses problemas do país? Algumas pessoas parecem pensar dessa forma. Para as mesmas, a solução seria retirar a presidenta, Dilma, do cargo, isto é, impeachment. Entretanto, se isso de fato acontecer, o que mudará no país? É preciso entender que a responsabilidade não recai somente sobre a presidência, o sistema também determina o futuro do país.

Publicidade
Publicidade

Legislativo e Judiciário têm grande influência nos atos políticos e, consequentemente, econômicos, portanto, é de extrema importância estudar os candidatos para que possa votar conscientemente. 

Então, o #Impeachment não sanaria as dificuldades que o Brasil enfrenta, reforma política, sim, acarretaria em significativas melhorias para o país, já que os aumentos nos preços e maior arrecadação de capital não estão tendo um retorno efetivo. Se o impeachment for o primeiro passo para a reforma política, então, será necessário, porém, não se pode ir de encontro à democracia apoiando algo extremamente radical como nessa situação.

A crise é a nível mundial, então, mesmo que o atual governo não fosse petista, o país enfrentaria os mesmos problemas decorrentes dessa enorme crise. É importante salientar que para que o impeachment aconteça, são necessárias provas concretas e há a necessidade de que tudo seja muito bem estudado, afinal, isso é viver numa democracia.

Publicidade

Consciência política ao votar é mais importante do que apoiar movimentos totalmente antidemocráticos quando não se há provas. Estudar e planejar o voto durante as eleições vai levar, sim, o Brasil para um lugar muito melhor. #Opinião #Blasting News Brasil