Em vídeo divulgado recentemente, a #China prova, novamente, sua eficiência quando o assunto é obra de infraestrutura pesada. O viaduto Sanyuan Bridge, em Beijing, foi desmontado e reconstruído em menos de 48 horas. O início das obras se deu às 23 horas do dia 13 de novembro último e acabou, incrivelmente, antes das 23 horas do dia 15.

Segundo o jornal eletrônico Shanghaiist, as autoridades chinesas utilizaram novo método construtivo, alterando o tempo de execução da obra dos normais 2 meses de execução para apenas 48 horas. Conforme a publicação, a nova estrutura, colocada no local pelo moderno maquinário, pesa mais de 1.300 toneladas.

Publicidade
Publicidade

O vídeo evidencia o longo caminho a ser trilhado no Brasil para que possamos, de fato, desfrutar de serviços públicos de qualidade, principalmente quanto a obras de infraestrutura. O tempo superado pelos chineses nessa empreitada, os antigos dois meses, já seriam uma miragem para os brasileiros, acostumados a obras muito menores que se estendem por anos a fio.

Não cabe neste momento trazer outros elementos que diferenciam os dois países, até mesmo porque cada qual tem suas características; no entanto, nesse tópico específico de infraestrutura, o Brasil tem muito o que aprender com a China, um país, ainda, em verdadeiro desenvolvimento.

 Veja:

O maquinário utilizado na reforma do viaduto impôs, pelo que se vê, não só velocidade à obra, mas também eficiência quanto aos demais aspectos envolvidos em uma obra desta magnitude (como por exemplo, resíduos, mão-de-obra, inconvenientes aos cidadãos, etc.) 

A China, com sua volúpia desenvolvimentista, vem utilizando maquinário moderno para realização de obras de infraestrutura pesada, estimulando diariamente a #Inovação.

Publicidade

Há mais de um mês, viralizou na internet outro vídeo chinês, no qual se vê a construção de uma ponte férrea por uma locomotiva que se desloca pela parte da linha já construída:

 

Em termos de eficiência em obras pesadas, não resta dúvida de que o nosso caminho é longo. A China, em termos de inovação e desenvolvimento tecnológico, ainda é uma miragem para as pretensões brasileiras. E o pior sentimento, nesse caso, é que poderiam os brasileiros, assim como os chineses, estar aproveitando do boom tecnológico para melhorar sua qualidade de vida.

E não se diga que isso ocorre na China porque há abundância de recursos, já que no Brasil, nos últimos anos, recursos para tanto não faltaram. Pelo contrário, diariamente são publicadas notícias com descoberta de obras e mais obras superfaturadas no Brasil, em valores que cobririam, certamente, os valores para realização de obras como na China. E o que mais incomoda, é que muitas dessas obras foram (e são) superfaturadas e, além de várias serem inúteis, nem sequer foram (ou estão) acabadas.

Publicidade

 

Apesar desse choque de realidade, não se pode desistir do Brasil. 

O Brasil é um país com um povo maravilhoso, com muitos recursos naturais e que já possui grande relevância internacional. O que falta é o povo encontrar o caminho das pedras, o qual passa, primeiramente, pela educação de nossas crianças. Com educação, respeito e cumprimento das leis, empoderamento do cidadão e incentivo à atividade empreendedora, em todos os níveis, certamente o Brasil vai galgar novos degraus nessa longa escada do desenvolvimento. #Negócios