Neste domingo, dia 1º de novembro, a página no Facebook Dilma Bolada postou um print de uma resposta da rede social a uma denúncia feita por assédio contra a página "Orgulho de ser Hétero", que notoriamente reúne pessoas intolerantes que postam mensagens de ódio contra a comunidade LGBT e até às mulheres. Mark Zuckerberg agradeceu pela denúncia e informou que a página foi removida por ferir os Padrões da Comunidade do Face. "Queremos manter o Facebook um lugar seguro e acolhedor para todos", disse ainda a mensagem. 

"Uma Horcrux já foi... Porque você pode ter orgulho do que você quer mas não pode usar o seu direito de ser babaca travestido de “liberdade de expressão” para ofender o próximo e nem passar por cima dos direitos de outrém.

Publicidade
Publicidade

Racistas, misóginos, preconceituosos e todos aqueles que inferiorizarem e discriminarem as pessoas baseados em suas características, também como etnia, orientação sexual, religião, entre outras: não passarão!", escreveu o perfil de Dilma Bolada.

Desde então, mais de vinte mil pessoas já curtiram o post, que teve mais de dois mil compartilhamentos. Foi o bastante para uma série de ameaças de pessoas que passaram a dizer que iriam derrubar também a Dilma Bolada. Mas a polêmica foi abafada pelos mais de um milhão e meio de pessoas que curtem a página da personagem fictícia da Dilma. Por enquanto, Dilma continua no ar. "Sou linda, sou diva, sou Presidenta. Sou Dilma! Sou uma sátira, se você não sabe o que é uma sátira, pega o número da fila do Bolsa Escola!", brinca o autor na descrição de seu canal no YouTube.

Publicidade

No entanto, mesmo com toda a consideração do Facebook, a página "Orgulho de ser Hétero" já voltou ao ar, com a seguinte mensagem: "A página Orgulho de ser Hétero, Bolsonaro Zueiro, Luana Bastos e outras páginas foram vítimas de um ataque em massa de denúncias de gays, comunistas e feministas".

Mais sobre Dilma Bolada

A Dilma Bolada é uma personagem fictícia criada pelo publicitário Jeferson Monteiro em 2010. Com memes e sátiras, o autor passou a comentar fatos de grande repercussão no país, geralmente rebatendo críticas ao governo da presidente.  #Educação #Mídia #Comportamento