Quando o assunto é traição a culpa sempre cai sobre os ombros dos homens. Mas, nos Estados Unidos, uma pesquisa divulgada pelo grupo, Pesquisa Social de Opinião, em parceria com a Fundação da Ciência Nacional, descobriu que dos 30% dos homens entrevistados em 2014, 19% afirmaram já terem traído suas parceiras, durante uma fase de seu casamento, ocasionando uma queda comparado ao ano de 1991, quando 21% dos entrevistados afirmaram já terem traído suas esposas. Já o número, entre as mulheres, que afirmam já ter tido um relacionamento fora do casamento subiu de 11% 1991 para 14% em 2014.

Outro estudo realizado em 2014, pelo Instituo de Pesquisas Kinsey, em parceria com a Universidade de Guelph, chegou à conclusão que a diferença é ainda menor.

Publicidade
Publicidade

No estudo, concluiu-se que cerca de 23% dos homens e 19% das mulheres mantêm ou já tiveram um relacionamento extraconjugal. Segundo a pesquisa, os números apontam para o fim da desigualdade dos sexos na hora da infidelidade. ''Mas é preciso cautela ao afirmarmos isso com certeza'', diz a psicóloga e antropóloga, Helen Fischer, coordenadora da pesquisa junto à Universidade de Guelph.

Para a doutora, o maior problema é que este tipo de pesquisa precisa de uma confissão sincera por parte do entrevistado. Ou seja, o entrevistado precisa estar sendo sincero na hora de afirmar a sua resposta. Os pesquisadores acreditam que o número real de infidelidades é ainda maior do que o informado. Porém há muita divergência neste tipo de pesquisa, onde eles não podem afirmar com certeza se o número de mulheres que atraem está alcançando o número de homens.

Publicidade

Em seu trabalho na área de psicologia, a psicóloga Helen Fisher observa que cresce cada vez mais o número de mulheres que traem seus parceiros, ou que estão a procura de um relacionamento fora do casamento. Para a psicóloga, existem algumas razões que levam a mulher a trair e a maioria destas razões são conhecidas por muitos como, baixa auto estima, falta de ser desejada e amada. Além da satisfação de um novo relacionamento. Evitando assim o fardo de um longo casamento.

Outro fator que também pode estar contribuindo para o aumento nos casos infidelidade, levando homens e mulheres a trair mais, está relacionado a ''overdose de infidelidade''. Ou seja, um(a) telespectador(a), que passa a semana assistindo, filmes, novelas, seriados de TV. Percebe-se que existe mais cenas de sexo fora, do que dentro do casamento, além das tramas emocionantes que um triângulo amoroso traz para os telespectadores. Para a Dr. Helen, a mídia acaba passando para a mentalidade do homem e da mulher de que a traição é algo comum.

Publicidade

Há também, as redes sociais como o Facebook e o Twitter e os sites de relacionamentos, os quais estão contribuindo e muito para o crescimento de casos extraconjugais. Para a doutora, as amizades florescem muito facilmente nas redes sociais. E para alguns usuários, as redes sociais facilitam em 99%, as chances de você relacionar-se com uma pessoa. Desde uma simples amizade, a um relacionamento mais sério, passando de encontros a dois para encontros discretos.

''Provavelmente no futuro, as mulheres responderão por mais casos extraconjugais do que os homens. Para uma sociedade que vem por décadas, pregando e celebrando a igualdade entre os sexos. Deve-se esperar também a igualdade em deslizes extraconjugais'', comenta a doutora Helen Fischer. #Entretenimento #Curiosidades