Se durante algum tempo o ex-presidente #Lula estava em menor evidência e até aparentava estar menos ativo, agora já não é mais assim. As recentes declarações do ex-presidente evidenciam sua clara intenção de se candidatar para a presidência em 2018 e de manter o PT no poder por longos anos.

Na última sexta-feira (20), Lula discursou para um grupo de jovens petistas e, em meio a tudo o que falou, deixou clara sua vontade de monopolizar o poder.  “O ideal de um partido é que ele pudesse ganhar a presidente, 27 governadores, 81 senadores e 513 deputados sem se aliar a ninguém”, disse.

Por definição, a posição de Lula pode ser vista como ditatorial e perigosa.

Publicidade
Publicidade

Segundo o Dicionário Aurélio, ditadura significa: “Absorção do poder legislativo pelo poder executivo.”

O desejo do ex-presidente, ainda que, em tese, não seja absorver o poder legislativo, na prática, revela que o mesmo não gosta de ter de lidar com a democracia. É preciso ressaltar que, no discurso, ele ponderou dizendo que a ideia de ter todo o poder é uma utopia, mas não deixa de ser um desejo enraizado em seu ser.

Realmente seria mais fácil que um único poder “reinasse absoluto” sobre tudo, sem ninguém que o “atrapalhasse”. Mas o mundo já não foi assim antigamente, antes da democracia?

A oposição, que muitas vezes é endemonizada, tem um papel importantíssimo, fiscalizando, impedindo que o governo em vigor faça tudo o que lhe convém e de sua vontade. Além disso, a oposição defende a posição dos que também perderam nas urnas.

Publicidade

A vitória nas urnas, quando legítima, deve sim ser respeitada, mas os “derrotados” não podem ser ignorados. Se fosse assim, grupos de minorias jamais deveriam ser atendidos, pois também não representam a vontade da maioria. A história nos mostra que calar alguns poucos, por fazerem parte de um grupo menos numeroso, pode ser uma grande covardia e injustiça.

Com relação ao que Lula disse, não é pecado querer ser maioria; o pecado é querer ser hegemonia, é querer extirpar qualquer um que não esteja de acordo com a vossa própria vontade. “Entre a política e o sonho, entre o meu desejo ideológico partidário e o mundo real da política tem uma distância enorme”, disse Lula.

É preciso lembrar, que um dia Lula foi oposição, e se fez governo, justamente por aqueles que um dia o deixaram fora do governo. Lula tem todo o direito de tentar a presidência em 2018, de querer ver o seu partido no poder, mas de maneira nenhuma tem o direito de querer transformar nosso país na herança petista perpétua.

Governos passam mas o país permanece. #Opinião #PT