Em tempos de #Crise financeira e alto índice de desemprego muitas famílias brasileiras se encontram numa situação de endividamento, algumas famílias se encontram até em situação de superendividamento, o que significa que 100% da renda da família está comprometido para a quitação de despesas.

E numa situação dessas, o que se deve fazer? Quais atitudes devemos tomar para sair dessa tão desagradável situação de endividamento?

Confira algumas dicas importantes de atitudes que devem ser tomadas para dar início ao equilíbrio financeiro e também para a quitação de dívidas.

Primeiramente deve se ter noção do tamanho do endividamento

Muitas famílias sabem que estão devendo para muitas instituições ou pessoas, mas não sabem detalhadamente o tamanho do endividamento ao qual se meteram.

Publicidade
Publicidade

Então se você está numa situação dessas, reúna a família e escreva com detalhes num caderno ou numa planilha todas as suas dívidas. Escreva o nome da instituição a qual se deve, o valor das parcelas, o total da dívida e o prazo limite para pagamento, se souber a taxa de juros de cada dívida, escreva e faça uma comparação da maior com a menor.

Faça uma separação de dívidas de sobrevivência e dívidas de não sobrevivência

Dívidas de sobrevivência são as contas que nós pagamos por mês para literalmente sobreviver, como: água, luz e alimentação. Agora dívidas de não sobrevivência são: telefone, combustível, internet, tv a cabo, prestações avulsas entre outras.

É muito importante saber o valor das dívidas de sobrevivência, pois dessa forma você terá uma noção do valor necessário para você subsistir, um valor que você sempre terá que ter em mente para dar o mínimo de bem estar a você mesmo e a sua família.

Publicidade

Faça uma comparação de seus rendimentos e de suas dívidas de sobrevivência

Agora é a hora de ver sua receita obtida mensalmente e suas dívidas de sobrevivência. Lembre-se que é muito importante ter esse valor sempre em mente a partir de agora, pois você terá que estabelecer um padrão de vida para sair das dívidas.

Faça uma lista de cortes e adeque o seus rendimentos ao montante de suas despesas

De agora em diante você terá que cortar despesas para se adequar e se necessário deixar de pagar algumas dívidas para ter seu orçamento equilibrado. Isso mesmo, deixar de pagar, muitas pessoas adquirem empréstimos para quitar dívidas e acabam se endividando ainda mais, essa não é uma atitude recomendada por especialistas, pois gera uma bola de neve muitas vezes impagável.

Então reserve 70% do seu rendimento para sobreviver e pagar dívidas. Guarde os outros 30 % para futuras renegociações de dívidas. Se tiver dívidas bancárias, estude fazer uma portabilidade, mude sua conta corrente para outro banco e aguarde a tempestade passar para começar a negociar suas dívidas com o banco anterior.

Publicidade

Uma situação de endividamento pode acontecer com qualquer pessoa, então não se desespere, pare, pense e faça uma análise minuciosa de suas dívidas, estabeleça metas e prazo para a quitação das dívidas e tenha em mente que é uma situação passageira e qualquer pessoa consumidora poderá passar, independente de classe social. #Desemprego #Crise econômica