O Brasil, em seus mais de 500 anos, aparentemente vive a síndrome da 'canoa furada'. Uma coisa parece inicialmente boa, porém, em pouco tempo se transforma num pesadelo para a sociedade. Esse processo não é novo, acontece desde os tempos coloniais, passando pelo império e república.

Por algum motivo inexplicável, política e economia não dão certo em nosso país. Infelizmente, as diversas lideranças que se revezaram no governo nacional evitaram melhorar a situação geral da população, promovendo apenas ideologias vazias e o enriquecimento pessoal. 

Em pleno século XXI, o Brasil continua governado por irresponsáveis, que imputam o ônus de seus erros a sociedade produtiva.

Publicidade
Publicidade

A má administração devora as possibilidades de melhora do país frente ao cenário internacional, onde, mesmo com as mais variadas crises, muitos países continuam crescendo.

Antes a culpa era da direita neoliberal, substituída pela esquerda salvadora, que tanto criticou, mas não cumpriu suas promessas e nos últimos quatro anos é responsabilizada por má articulação política e econômica. Seus defensores alegam que a culpa na realidade é da crise mundial, e que o governo possibilitou a melhora de uma considerável parcela da população pobre e miserável do país. 

O problema é que uma onda de corrupção lavou os pés da esquerda no poder. Segundo suspeitas, bilhões foram desviados por meio de empresas públicas para financiar eleições e o enriquecimento ilícito (nada novo no Brasil). E agora, quem socorrerá a sociedade?

Os brasileiros vivem na busca de um salvador, e esquecem que nós somos os salvadores.

Publicidade

Todavia, preferem culpar a #Corrupção política, mas esquecem que são os próprios corruptores do sistema, dentro de um círculo vicioso de erros, não aceitando a culpa da atual situação do país. A corrupção está entranhada no âmago social, não é um caso de esquerda ou direita, é pessoal, necessita se eliminada por meio do constante combate aos desvios da moral. 

A democracia é um sistema de governo que exige dos indivíduos de uma sociedade, um envolvimento constante e máxima vigilância, justamente para evitar possíveis desvios de conduta dos seres políticos responsáveis por administrar a nação e representar o povo. Direita ou esquerda é apenas uma questão ideológica, o que a nação necessita é de um povo viçoso, preocupado com o bem estar geral.

A situação atual é muito ruim, porém, se exige do momento colocar sobre os ombros a responsabilidade de fiscalizar o país, arregaçar as mangas e escrever um novo futuro, onde a sociedade não fique se agredindo, defendendo ideologia partidária, mas, sim, unida em prol da construção de uma nação boa par para todos, ricos ou pobres, independente da mão que utiliza para lavar o rosto. #Opinião #Reforma política