O Estado do Rio Grande do Sul já foi um exemplo de segurança e arquétipo a ser seguido por todos estados brasileiros. Já foi. Hoje agoniza. Déficit na ordem de 56%, com defasagem de mais de 24 mil profissionais na área da segurança. Na Polícia Civil faltam escrivães, investigadores, agentes carcerários e policiais militares  na Brigada Militar, equipamentos como coletes novos à prova de bala, munição, computadores novos para as delegacias, além do básico como viaturas e combustível.

E, pressionado que está pelo aumento da violência no RS e pelas acirradas críticas ao seu trabalho inoperante frente à pasta, o atual secretário da Segurança, Wantuir Jacini, está se sentindo cercado e alega não ter máquina de fazer dinheiro para solucionar estas pendências.

Publicidade
Publicidade

Jacini não descarta abandonar o governo, porque não imaginava que a penúria financeira encontrada colocasse por água abaixo todo seu planejamento estratégico e ações políticas para a área da segurança. Porém, não conseguiu implementá-las por falta de recursos.

Ele não poupou elogios a si próprio, alegando que "se um profissional de seu gabarito não conseguiu solucionar o problema de segurança do RS, imagine como um eventual substituto na pasta poderá almejar", ainda mais sem sua vasta experiência. Segundo Jacini, sem dinheiro não há como combater a marginalidade, pois reconhece a carência de material humano nas ruas. Ele se refere à defasagem de policias civil e de brigadianos na ordem de milhares.

Currículo de mestre

Wantuir Francisco Brasil Jacini tem todos os requisitos para um bom Secretário de Segurança Pública.

Publicidade

JAcini é agente de Polícia Federal há 33 anos, Delegado da Policia Federal desde 1980, formado em direito, pós-graduado em Curso Superior de Guerra Política, realizado no Colégio Fu Hsing Kang - República da China (1990), e também em Metodologia do Ensino Superior pela Universidade Nacional de Brasília - UnB (2000). Pena que o Rio Grande do Sul esteja na iminência de perder um profissional deste gabarito por falta de recursos financeiros. #Crise #Comportamento #Casos de polícia