A pergunta mais temida numa entrevista de empregos: "fale dos seus pontos fracos".

Mas o que será que o selecionador espera ouvir como resposta neste ponto da #entrevista, qual a intenção escondida por traz da enfática pergunta?

Mais uma vez ressaltamos, não dá para estabelecer uma resposta padrão!

Mas esta é uma pergunta importante no processo e não serve apenas para descobrir seus pontos fracos, que dependendo de seu controle emocional pode te colocar em apuros, ela é direcionada para testar seu nível de auto-conhecimento, se você consegue ver onde estão suas falhas, se é capaz de detectá-las e reconhecê-las.

Entenda que nenhuma empresa vai contratar alguém que não conhece primeiro a si mesmo, a ponto de não aceitar uma sugestão, e porque não dizer, uma correção.

Publicidade
Publicidade

Como alguém que não sabe expor suas fraquezas e reconhecer sue erros poderia, por exemplo, participar de uma reunião de feedback, tão valiosa para aperfeiçoamento de gestão de equipes.

Mas para nós interessa transpor esta etapa e de alguma forma obter vantagem nesta pergunta, e uma das dicas é “procurar ser objetivo e não se estender demais no assunto”, não dizer nada que possa envolver muita emoção e possa revelar algum ponto negativo na sua vida pessoal ou profissional, mesmo que você tenha conhecimento de sua falha e esteja procurando se corrigir.

Muitos, particularmente, recomendam até treinar antes e avaliar o que pode ou não ser dito, mas evitando ao Maximo falar sobre coisas de ordem pessoal e emocional, distúrbios afetivos, comportamentos violentos, vícios, manias de perfeição, relacionamentos mal resolvidos, a preferência seria citar problemas técnicos nos quais você esteja procurando se aperfeiçoar, e nunca fazer piadinhas do tipo tenho fraqueza por "mulheres" ou "cerveja", isso alem de não interessar te coloca fora da seleção por irreverência, e pode soar como falta de respeito ao profissional de RH.

Publicidade

O conselho para estas questões é você analisar quais os pontos que devem ser falados e menos enfatizados, refletir sobre as suas próprias falhas é muito importante, e se posicionar a respeito deles é essencial para ganhar pontos nesta altura do processo de seleção.

As empresas valorizam pessoas que reconhecem suas fraquezas e que estão fazendo algo para corrigi-las, ponto positivo.

O candidato ideal para a vaga não será um que tiver menos defeitos, mas sim um que já tenha melhor auto-conhecimento, que saibam reconhecer seus pontos negativos e que tenha, sobretudo, na sua mente a pretensão para corrigi-los.

 

 

 

  #Trabalho #Comportamento