Uma jovem norte americana de 22 anos acaba de criar no Facebook um grupo feminista denominado Femiteheist o grupo  já conta com mais de 800 seguidores. Entre as diversas postagens destaca-se, O dia Mundial da Castração Masculina, como uma forma de protesto após um desentendimento com o seu namorado cujo o qual ela teve um filho que está com 3 anos de idade no momento.

Após a separação do casal em 2013 ela teria publicado em seu canal do YouTube um vídeo falando a respeito do assunto. Horas mais tarde descobriu que o que acabara de fazer foi despertar uma onda de fúria e ódio entre o ambiente masculino.

No entanto, a jovem afirma que isso não passou de uma brincadeira de mau gosto, mas agora é tarde para arrepender-se.

Publicidade
Publicidade

Dois anos depois da postagem, a jovem ainda é vista por alguns como uma vilã, para outros uma realista racional. Isso depende do ponto de vista para quem você for perguntar.

No entanto após a polêmica, a jovem ainda defende a teoria da redução da população masculina. No seu blog ela já teria escrito mais de 100 páginas no que refere-se a um manifesto explicando a teoria do Femiteísmo.

Um dos artigos tem no título o nome ''A Proporção'', no qual se refere que a população masculina deveria ser reduzida a 90% onde descreve o seguinte. ''Acredito que a proporção de 50% entre homens e mulheres acaba prejudicando alguns homens. De acordo com minhas ideias, eu eliminaria 90% da população masculina no mundo, fazendo com que 10% dos homens merecedores de estarem entre nós fossem transformados em uma classe especial e mais valorizada.

Publicidade

Este é o meu propósito fazer com que o homem bons sejam mais valorizado melhorando sua qualidade de vida sensivelmente'' conclui.

Em entrevista para um site de notícias da Vice a jovem que prefere não se identificar respondeu a uma série de perguntas sobre o assunto.

Ao longo dos próximos anos você está falando de abates ou reprodução seletiva?

Acho que reprodução seletiva seria a melhor. Não desejo ver abates e não defendo a teoria de massacres brutais.

Os homens seriam mantidos em isolamento ou como garanhões?

Eu acho que deveríamos removê-los da sociedade e colocá-los dentro de um campo de concentração com recursos subsidiados pelos governos. Nós não só manteríamos os homens seguros como as mulheres também. Com os 10% da população masculina o valor sociológico de um homem iria aumentar. Além do mais eles teriam uma vida mais feliz sendo desejado por várias mulheres ao mesmo tempo. Qual homem não gostaria de ter uma situação assim?

De acordo com a sua teoria os homens teriam valor algum além da reprodução?

Caso a tecnologia não esteja avançada a ponto em que o trabalho braçal não possa ser substituído.

Publicidade

Os poucos homens teriam a permissão para trabalhar fora da reserva completando as tarefas que lhes forem dadas.

Esse trabalho seria um trabalho escravo?

Não seriam apenas trabalhadores realizando tarefas normais do mesmo modo que a maioria dos trabalhadores realizam tarefas diárias hoje em dia.

Você acredita que a projeção sexual possa ser projetada?

Sim e assim como a projeção sexual muitos coisas possam ser projetadas. Acredito que hoje em dia a ciência é capaz de projetar um indivíduo com a preferência de poder escolher seu próprio sexo. No meu ver a maioria das mulheres mostram-se abertas ao homossexualidade e estão mais interessadas em experimentar esta nova experiência.

Você acredita que isso é genético?

Não sei talvez seja algo parcialmente genético aliado ao medo de que a maioria dos homens tem em se parecer um homossexual e não é assim que um ''homem'' deve-se portar. A genética moderna pode moldar nossa sexualidade como quiser.

Nota: A referida matéria não traduz um posicionamento nem a visão da plataforma Blasting News com relação à discussão de gênero e o fato de ter sido publicada não significa, sob qualquer aspecto, apoio ao movimento. É pura e simplesmente uma questão de curiosidade. #Entretenimento #Dicas #Curiosidades