A maioria das pessoas ao fazer uma reflexão sobre o ano de 2015 chegará a conclusão que foi um ano ruim para o país.

A crise hídrica em grandes cidades como São Paulo devido à baixa quantidade de chuvas e outros fatores que agravaram a falta de água; a crise econômica que gerou desemprego e aumento nos preços com a crescente nos índices da inflação; desastres ambientais como o que aconteceu na cidade de Mariana, que trará consequências a meio ambiente durante muito tempo, além das vidas que foram perdidas ou devastadas com o aconteceu; crise política devido à #Corrupção, falta de união entre os políticos para promover o bem ao país;  a violência que vem tomando conta de nossas cidades  entre outros fatos de grande relevância que poderiam ser facilmente listados.

Publicidade
Publicidade

Tudo isso que aconteceu deixo no ar certa sensação de impotência diante dos fatos, e de que a impunidade e a falta de vontade para melhorar o país imperam nos dias de hoje. Há uma decepção muito grande no país e uma desvalorização de tudo que já foi conquistado. O brasileiro é um povo batalhador e merece muito mais do que anda recebendo por sua luta.

O que esperar de 2016? Para que este ano seja melhor, seja diferente, é necessário que haja uma mudança profunda na forma de agir diante dos problemas que nos atingem diariamente. E essa mudança deve começar desde os pequenos detalhes como o respeito ao próximo, respeito no trânsito é para uso comum, consciência de que a cidade é de  todos nós e que o lixo não deve ser jogado nas ruas. Um simples papel  de bala que for jogado na rua, mesmo que tenha poucos centímetros, já serve de mal exemplo e deve ser descartado de forma correta.

Publicidade

Esses são apenas três exemplos de mudanças que podem ser iniciadas, mas existem muitas outras que como as que foram citadas trazem benefícios para toda sociedade. 

A partir dessas pequenas conscientizações, do combate à corrupção, de uma unificação em todos os âmbitos em prol de um objetivo comum, o ano de 2016 poderá ser muito melhor do que o ano que acabou.  #Tratamento #Inflação