Não faz muito tempo, a rede britânica BBC veiculou um artigo sobre os povos latino-americanos e desde o México até o Chile, todos têm a unanimidade de pelo menos alguma vez já ter falado uma piada sobre os argentinos. “Você sabe como um argentino comete suicídio? Ele sobe sobre seu próprio ego e salta de lá". Quem contou esta piada há alguns meses não foi ninguém menos do que o papa Francisco, um dos argentinos mais famosos da atualidade, demonstrando todo o seu bom humor. O papa falou esta piada a um repórter da rede mexicana Televisa, após o jornalista ter afirmado que os argentinos não são nada humildes e são também muito vaidosos. 

O papa Francisco e os jogadores de futebol Messi e Maradona são alguns dos figurões argentinos reconhecidos pelo mundo afora, fazendo com que os seus compatriotas encham o peito de orgulho sobre também terem nascido nessa nação sul-americana.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, de onde provém esse mito dos argentinos sempre serem os melhores em tudo? Até mesmo porque o ego exacerbado do povo em questão, não se concentra unicamente nesses personagens. 

Conforme a pesquisadora e diretora da Escola de Psicologia Social do Sul em Buenos Aires, Gladys Adamson, expôs à BBC, que o comportamento argentino tem raízes históricas, pois ela afirma que o assunto apareceu por volta do fim do século XIX, ocasião em que a nação era uma das mais ricas do planeta e com as guerras mundiais que ocorreram na seqüência, a Argentina se transformou literalmente no "o celeiro do mundo". 

A psicóloga Adamson disse que foi exatamente neste momento da história que surgiu o conceito de "argentinidad" ou do que é sentir-se ou ser argentino de fato. Todo esse momento coincidiu do acompanhamento de uma grande leva de migração que lançou as bases da sociedade Argentina vigente.

Publicidade

“De um lado está a arrogância no #Comportamento de alguns, mas, por outro lado, o povo em si é muito crítico", afirma Gladys. 

É importante que fique claro que nem todos os argentinos são egoístas. Há um número grande de especialistas em personalidade e comportamento que associa o orgulho exacerbado dos argentinos a um grupo específico desse país, a saber os habitantes de Buenos Aires também conhecidos como portenhos ou originários da beira do porto. 

Daniel Divinsky, que é um dos fundadores das Ediciones de la Flor (Edições da Flor) e publica obras de alguns dos mais famosos comediantes da Argentina, como nos casos de Mafalda e Quino, admite que muitas das críticas baseiam-se no conhecimento que os estrangeiros têm dos habitantes de Buenos Aires, que são os que mais viajam para fora do país, então, as piadas para os argentinos são direcionadas, na realidade para os argentinos de Buenos Aires, explicou Divinsky também a BBC. 

Daniel diz ainda que os argentinos “aceitam as piadas humilhantes e irônicas contadas sobre eles, desde que isto seja feito por outro argentino, mas não gostam quando isto parte de alguém que não é argentino”. E você, sabe alguma piada de argentino? #Curiosidades #Mercosul