Os suspeitos de terem promovido os ataques racistas na página da atriz Taís Araújo foram postos em liberdade e as prisões transformadas em medidas cautelares. Taís Araújo foi vítima de diversos comentários racistas em uma foto postada no seu perfil no Facebook.

Os acusados de serem os responsáveis pelas ofensas estão em liberdade desde o último fim de semana (19 de março), como eles haviam sido detidos no dia 16, estiveram presos por cerca de 72 horas. Via de regra, crimes como racismo não chegam à levar o infrator a prisão. Normalmente são aplicadas medidas cautelares e as punições convertidas em multa e prestação de serviços.

Publicidade
Publicidade

A operação da Polícia que identificou os suspeitos do ato de racismo em um ambiente virtual, contou com uma ampla investigação e levou a busca pelos responsáveis em sete estados brasileiros: Rio de Janeiro, Paraná, Bahia, Minas Gerais, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo.

O objetivo da operação policial nesses estados no caso Taís Araújo, era de cumprir quatro mandados de prisão e onze de busca e apreensão. A 23ª Vara de Criminal do Rio de Janeiro foi quem determinou a liberdade de Pedro Siqueira da Silva, Francisco Silva Júnior e Thiago Zanfolin, entretanto eles devem se apresentar a Justiça sempre que forem convocados e não podem trocar de endereço sem a devida comunicação.

Ao todo os três desse caso serão acusados pelos crimes de injúria racial, formação de quadrilha e racismo.

Publicidade

Injúria racial pelo fato de terem ofendido à honra de uma pessoa (Taís Araújo), formação de quadrilha, pois a Polícia acredita que o ataque foi orquestrado e combinado entre eles e racismo, pois embora o ataque tenha se dirigido à atriz eles também ofendem aos negros de uma forma geral.

A Polícia afirma que os suspeitos do caso Taís Araújo são os mesmos responsáveis pelos ataques aos perfis da jornalista Maria Júlia Coutinho, a 'Maju' do Jornal Nacional, e a também atriz global Sheron Menezes.

Atribuídos os crimes, as penas podem chegar a 12 anos de prisão. A Polícia já concluiu as investigações e o inquérito encontra-se em poder da Justiça. #Famosos #Crime