O ano de 2016 começa com uma grande propaganda da Rede Globo de Televisão, incitando o povo a participar de manifestações, enquanto se cala quanto aos inquéritos de membros do #PSDB, onde um membro foi condenado a 20 anos em Minas Gerais, um ex-presidente tucano aparentemente sonegou e lavou dinheiro com uma amante na Europa e o governador do Paraná está sob suspeita de corrupção usando a estrutura da receita estadual paranaense, onde alguns membros já foram presos. O Governador do Estado de São Paulo (Geraldo Alckmin) e o ex-governador de Minas Gerais (Aécio Neves) foram vaiados na última manifestação de domingo, pois fizeram uma leitura errada da demanda do povo.

Publicidade
Publicidade

A corrupção pode ter uma trégua se Dilma cair

De fato, o povo está cansado de corrupção e só tem como modelo o juiz Sergio Moro, que já condenou vários corruptos, sendo um dos herdeiros da empresa centenária Odebrecht, uma verdadeira inovação na justiça brasileira, pois ele era considerado um príncipe inatacável. Sem julgar ou defender a Presidente Dilma, está claro que o #Governo dela, apesar de conturbado com as movimentações da oposição oportunista, foi o que mais julgou e condenou os cartolas das maiores empreiteiras nacionais, tendo também conseguido o retorno de maior valor dos valores subtraídos do erário e das empresas públicas. Enquanto isso, no planalto federal, particularmente no congresso nacional, cada vez mais se preocupa com a aproximação das investigações, sendo os principais suspeitos até o momento, nada mais do que o presidente da Câmara (Deputado Eduardo Cunha), o presidente do Senado (Senador Renan Calheiros), além do vice-presidente Michel Temer.

Publicidade

O dito baixo clero já começa a se movimentar mudando de sigla partidária visando um re-arranjo de forças políticas e na esperança de que o impeachment barre o processo investigativo que oprime os congressistas.

A Globo está com medo de ser envolvida nos escândalos

Outro aspecto interessante sobre o processo de impeachment é observado pela forma como o noticiário, particularmente da Rede Globo e da Globo News, mostrando principalmente como movimentos de um ladrão de galinhas os passos do Partido dos Trabalhadores (PT), tendo como protagonistas ora a presidente, ora o ex-presidente Lula, de certa forma gerando um clima de tensão e desviando a atenção do público para pelo menos dois pontos muito importantes: o primeiro é o escândalo da FIFA, comprovadamente envolvendo o ex-presidente da CBF, mas não citando que o conglomerado Globo sempre esteve muito envolvida com a venda da imagem dos jogos pela TV, venda das cotas de propaganda e o envolvimento de seus dirigentes com os cartolas do futebol, envolvidos no escândalo.

Publicidade

Outro ponto, não menos importante, é que historicamente a família Odebrecht sempre contou com a divulgação de suas obras pela Rede Globo. A família Odebrecht também era amiga da família Magalhães, sendo Antonio Carlos Magalhães, avô do atual prefeito de Salvador, um dos que sabia do escândalo da amante do Fernando Henrique Cardoso e teria interveniado junto à Globo para manter a amante afastada do Brasil. Nada foi comentado sobre quais os custos ao país tais ligações podem ter causado. Antonio Carlos Magalhães já tinha um vasto currículo de interventor pois foi o primeiro Governado da Bahia sob intervenção militar, tendo sido Ministro e Senador por vários anos, conhecendo de perto a coxia dos ex-presidentes. #Dilma Rousseff