Volta e meia é comum passear por revistas e sites que trazem soluções para bem-estar e saúde. Elas não devem ser sacralizadas. Mas muitas delas não devem ser descartadas apenas como crendices. Há um efeito placebo que não deve ser ignorado. Ele é reconhecido por nove entre cada dez estrelas de Hollywood (em vias de mudar definitivamente para Bollywood, a emergente indústria de cinema indiano) como a transferência do somático para o físico que pode trazer benefícios.

Uma breve história do Tereré

Reza a lenda, em número cada vez maior, levando em conta o desinteresse por assuntos sérios em uma sociedade cada vez mais pândega (e falando baixinho, um tanto quanto corrupta), que a bebida surgiu durante a Guerra do Paraguai.

Publicidade
Publicidade

Os soldados não podiam acender o fogo sem dar sua localização para os inimigos e esquentar água para tomar o delicioso chimarrão. O que sempre acontecia nos intervalos entre uns e outros tiros, que poderiam ter dado cabo de tantos outros tomadores de chimarrão.

Assim eles tomavam fria a beberagem comumente servida quente (quase fervendo). O desgosto virou gosto. Logo surgiram os contestadores de plantão. Eles disseram que isto era balela. Tal e qual as afirmativas dos políticos lá do planalto central do país. Eles diziam que o costume surgiu dos índios guaranis. Esta segunda versão é acreditada, quando se parte da premissa que índios não mentem. É algo a confirmar, mas crível desde o tempo em que Juruna andava pelo congresso com gravador em punho, costume infelizmente perdido no tempo. Pelo menos tudo era feito às claras, sem que a necessidade que o juiz Moro interferisse.

Publicidade

Enfim o que é o tal tereré?

É a mistura de água fria, erva mate e alguns incrementos a cargo da criatividade individual. Alguns acrescentam suco de limão. Outros colocam pedaços de canela. Ele é comum cá para as bandas do Sul, onde se alternam o calor e o frio cortante.

Nem tudo que reluz é ouro

Ser refrescante no calor já seria o bastante para dar uma bicadinha para ver como é tal beberagem. Mas sempre é possível dar algum brilho adicional a alguns costumes. Esta beberagem agora conhecida por todos tem, segundo as boas línguas, uma capacidade que não deve ser ignorada: ela pode atuar como um potente emagrecedor. Mito criado, mito a ser investigado. Assim o fazem programas de variedades domingueiros, para satisfazer curiosidades.

Tereré emagrece?

Segundo os especialistas ele teria esta propriedade por ser bebida de efeito diurético. Eles podem reduzir a gordura do corpo. Assim afirmou uma nutricionista de Foz do Iguaçu (Carina Trevisan), moradora do extremo sul (Foz do Iguaçu). Do alto de sua cátedra no Facebook, ela defende as boas propriedades de mais uma das aplicações da erva-mate, tão ao gosto dos gaúchos, bah tchê.

Publicidade

Voltam à cena os conselhos que recomendam: não tanto ao mar, nem tanto ao mar. Não é só tomar e relaxar que os efeitos chegam de repente. O uso do tereré deve ser acompanhado de uma alimentação balanceada e equilibrada, sem grande ingestão de calorias. Assim todo cuidado é pouco para evitar ter que parafrasear Noel Rosa e dizer para os conselheiros de plantão: “Quem é você que não sabe o que diz? Meu Deus do céu, que palpite infeliz”. Este parece não ser o caso da recomendação de tomar um bom tereré, pelo menos para ter uma agradável sensação de bem-estar quando se acrescenta um pouco de menta. #Dicas #Medicina