O processo de #Impeachment da presidente #Dilma Rousseff já começou a tramitar na Câmara e isso aconteceu justamente no momento em que a crise política atingiu seu ápice, o que tornará mais difícil para a petista conseguir apoio para não ser cassada.

Não tendo outra alternativa, o discurso de Dilma agora é que a única solução é partir para a guerra e, como disse um assessor da presidente, agora é "matar ou morrer".

O Palácio do Planalto já entrou em estado de alerta desde o último sábado (19) e começou a se mobilizar para conseguir os 171 votos que serão precisos para impedir o início de um processo que resultará no afastamento de Dilma Rousseff.

Publicidade
Publicidade

A meta então é "matar" o impeachment e o Governo não quer demorar, pois quanto mais o tempo passar, mais forte o processo se tornará e depois poderá se tornar irreversível. 

O cenário político não é favorável, se mostra como um campo de batalha cruel e o governo chega sem muitos soldados para esta guerra, totalmente fragilizado e tem até os desistentes que estão indo para o lado do "inimigo".

Lula, que era a grande surpresa deste Governo para derrotar todo e qualquer inimigo, acabou prejudicando ainda mais a já difícil situação da presidente. Sem data certa para assumir a Casa Civil, o ex-presidente já desgastou sua imagem antes mesmo de assumir o cargo e mesmo que consiga reverter o quadro e se torne Ministro, está totalmente desacreditado e sem a força de alguns anos atrás.

O Governo já determinou que tudo seja feito para evitar uma "debandada na base governista", o que definitivamente seria o fim de tudo.

Publicidade

É preciso manter pelo menos o que sobrou da parceria com o PMDB, pois se isso não acontecer, o impeachment já é dado como certo.

E uma das grandes dificuldades que o Governo vem enfrentando é que não está tendo tempo de reagir, pois tudo tem acontecido rápido demais, quase que diariamente tem um novo "grampo" vazando na mídia e Delcídio já avisou que tem mais "podres" para contar.

Esta é uma semana que promete muito no cenário político nacional e o destino do país poderá já ser definido nos próximos dias. #Crise no Brasil