Mesmo após a imensa onda de protestos contra o governo Dilma e pedindo a prisão do ex-presidente #Lula, os brasileiros foram surpreendidos com a notícia de que Lula voltará ao cenário político e, agora, como Ministro da Casa Civil. A informação já havia sido dada pela própria presidente Dilma após a condução coercitiva de Lula pela Polícia Federal. Hoje, foi confirmado que Lula aceitou o pedido e voltará ao governo em um momento muito conturbado na política nacional. Lula, assumindo a casa Cívil, deixa de ser julgado pelo juíz Sergio Moro e passa a ter foro privilegiado sendo julgado diretamente pelo Supremo Tribunal Federal. As reações das pessoas nas redes sociais foram imediatas, muitos dizem estar se sentindo como que feitos de bobos e que Lula e Dilma não estavam nem um pouco preocupados com os protestos de domingo.

Publicidade
Publicidade

As delações de Delcídio do Amaral, que indicaram favorecimento ilícito de Lula do caso do tríplex, agora também são contra outro membro do governo, Aloísio Mercadante, que em gravações teria pedido que não fossem reveladas as atividades do governo na delação e em troca oferecido dinheiro. 

Assumindo o ministério, a missão principal de Lula agora é conter a saída de aliados e tentar frear o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Lula é alvo de investigações que o ligam à corrupção no esquema da Petrobras, enquanto Dilma enfrenta processo de impeachment por suspeita de adulteração de contas públicas.

A Oposição considera a manobra de inserir Lula no governo uma saída claramente oportunista para livrar Lula das investigações do juiz Sérgio Moro que lidera a Operação Lava a Jato.

Publicidade

"Ao invés de dar explicações e assumir responsabilidades, o ex-presidente Lula preferiu fugir pela porta dos fundos. Vai assumir um ministério para garantir foro privilegiado (...) É uma confissão de culpa e um tapa na cara da sociedade. A presidente Dilma, ao convidá-lo, torna-se sua cúmplice", foi o que afirmou Antonio Imbassahy,  líder oposicionista do PSDB na câmara dos deputados.

Enquanto isso, o país enfrenta uma recessão econômica sem precedentes, o que, com turbulência politica atual, só tende a se agravar. O aumento do nível de desemprego já é uma triste realidade para muitas famílias, o PIB continua encolhendo e a inflação já supera os dois dígitos. #Blasting News Brasil #Crise no Brasil