Nos tempos modernos, são poucas as pessoas que acreditam que as mulheres não podem competir em pé de igualdade com os homens no contexto profissional. Tanto é assim, que, por exemplo, na longínqua Rússia, o VTsIOM (Centro Russo de Pesquisas de Opinião Pública), revelou na sexta-feira, 4, uma determinada pesquisa que comprovava que 93% da população daquele país acredita que as representantes do sexo feminino têm a oportunidade de desenvolver uma carreira profissional exitosa como a dos homens. 

A matéria veiculada pelo VTsIOM faz questão de deixar bem claro que a mulher possui a capacidade de fazer carreira baseada no sucesso sem dúvida alguma.

Publicidade
Publicidade

Tanto é que 93% dos cidadãos entrevistados pensam dessa forma, ou seja, no período de 25 anos, a parcela dos opinantes quase que dobrou, pois, no ano de 1991, o percentual era de 57%, ocasião em que 20% dos pesquisados duvidavam do potencial feminino no quesito desempenho no mercado de trabalho. Atualmente, só 5% são partidários dessa opinião de outrora. 

Outro fator importante é que paralelamente a esse período de tempo, elevou-se o contingente de indivíduos crendo que ao se terminar os estudos, tanto homens quanto mulheres possuem oportunidades no mínimo iguais de se fixar no ambiente competitivo de trabalho, de 39%, em 1991, para 56%. 

A mulher russa que se revelou a mais conhecida na esfera política foi a carismática presidente do Conselho da Federação (Senado russo), Valentina Matvienko, conforme os entrevistados pelo centro russo de pesquisas, ou seja, as pessoas mencionaram logo a primeira personagem da política feminina que pudesse lhes vir à cabeça, onde 34% dos cidadãos russos falaram o nome de Matvienko. 

Ainda no contexto da política, o 2.º nome lembrado foi o da oposicionista Irina Hakamada, com exatamente 6% dos votos; logo seguida pela chanceler da Alemanha, Angela Merkel; depois pela jornalista e também opositora do regime, Ksênia Sobtchak; depois se tem a ginasta e ex-deputada (2007-2014) Alina Kabaeva e por último, Maria Zahárova, que é porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros. 

Infelizmente as pessoas que foram abordadas na entrevista não chegaram a um denominador comum de qual é a mulher que pode ser considerada como o grande símbolo nacional da Rússia atual: 27% dos entrevistados afirmaram que não há tal representante e já 50% disseram ter problemas para responder a essa questão. 

Por outro lado, as 3 primeiras colocadas através daqueles que emitiram as suas opiniões foram: a política Valentina Matvienko (5%), a cosmonauta Valentina Terechkova (4%) e a cantora de músicas populares Alla Pugatchova (3%).

Publicidade

Tecnicamente é importante frisar que o VTsIOM procedeu com a pesquisa dos dias 27 a 28 de fevereiro, tendo entrevistado 1.600 pessoas em 130 cidades situadas ao longo de 46 regiões, territórios e repúblicas da Rússia, onde a margem de erro foi menor do que 3,5%. #Europa #Comportamento #Maternidade