As redes sociais passaram a ter papel importante na sociedade moderna, o que pode ser ilustrado com a primavera árabe - protestos realizados em 2011 contra os governos ditatoriais do oriente médio, que foram mobilizados com a ajuda das mídias sociais, que serviram como instrumento de organização, comunicação e sensibilização da população para os atos.

No Brasil não é diferente. Aqui já ocorreram várias manifestações que foram organizadas pelas redes sociais e por vários movimentos, seja a favor ou contra o governo. Os movimentos contrários ao governo da presidente Dilma Rousseff agendaram, a mais de um mês, manifestação para o próximo dia 13 de março, que tem como pauta central  o impedimento da presidente.

Publicidade
Publicidade

Os dois principais grupos organizadores são o Movimento Brasil Livre e Vem Pra Rua. O evento disponível no Facebook, criado pelo último, já conta com mais de 3 milhões e meio de convidados, 226 mil comparecerão e mais de 70 mil interessados no ato (números registrados em 08 de março). Além deles, artistas da Rede Globo gravaram um vídeo convidando as pessoas para comparecerem na manifestação, entre eles Susana Vieira, Marcelo Serrado, Juliana Paes entre outros.

A condução coercitiva do ex-presidente Lula, na última sexta-feira (04 de março), por sua vez, serviu para agitar os movimentos sociais a favor do governo federal, como a CUT e a Frente Nacional de Luta. A ideia inicial dos movimentos era realizar a manifestação no mesmo dia dos contra a presidente, contudo, hoje decidiram, em parte, recuar dos atos, a fim de evitar possíveis confrontos, como aqueles já ocorridos na semana passada.

Publicidade

Por outro lado, Geraldo Alckmin, governador do estado paulista, afirmou hoje em entrevista dada a rádio Jovem Pan que somente o ato anti-Dilma poderá ocupar a Av. Paulista (ato na cidade de São Paulo), no próximo domingo, isso porque "É direito constitucional a liberdade de manifestação, de expressão, e é dever do poder público garantir a tranquilidade à manifestação da população”, afirmou o governador.

A princípio, os atos agendados para mais de 280 cidades do país em 13 de março, conforme dados do Vem Pra Rua, devem ocorrer de forma pacífica e sem grandes transtornos para a população. #Protestos no Brasil