O país vive um momento de rebuliço político que atinge a todos os seus cidadãos, não há como fugir dos acontecimentos, não há como fingir que nada acontece. E então, não é de se pensar que chegou a hora de mudar o destino desta nação? Este é um país que convive a séculos com o estigma de termos um povo conivente com a corrupção, com a má administração pública.

Na revolução de 64 o país foi impingido a uma nova ordem, a um novo comando, não teve direito de escolha. Hoje a nação tem, literalmente, toda a força necessária para mudar o destino de nossa pátria, as feridas estão claramente expostas e evidenciadas,  cabe  apenas não jogar por terra a oportunidade de dar uma guinada histórica.

Publicidade
Publicidade

Qual é o medo? Tudo vai mudar, o comportamento de nossos líderes, o comportamento do cidadão, não há como fugir desta realidade, a reestruturação é geral. Aquele cidadão que fura  a fila , aquele cidadão que se beneficia de alguém para conseguir seus intentos sem passar pela burocracia, este cidadão estaria com seus dias contados, esta é a mudança, um novo espírito de convivência. Mas a resistência é grande, tudo parece mais fácil quando não há ordem, quando não há disciplina, tudo é permitido e passa impune diante de nossos olhos.

Nunca seremos uma grande nação se continuarmos omissos aos desvios de condutas, precisamos nos reeducar, é necessário sair desta acomodação de que nada vai mudar, e é fato que isto não acontecerá se não assumirmos nosso papel de cidadão. Esta nação, por mais pobre que seja, não necessariamente passou por uma grande tragédia ou evento catastrófico que nos forçasse a uma mudança radical de comportamento, somos uma nação com muitas possibilidades, com muitos jeitinhos, o que nos leva a crer que tudo é resolvido facilmente.

Publicidade

E não é, deveríamos pensar nos que poderíamos ser se não fossemos tão ausentes, tão pouco participativos no destino de nossa terra natal.

Temos potencial para sermos grandes em todos os sentidos, temos condições de melhorar nossa qualidade de vida, de amenizar a pobreza que tanto nos aflige sem sermos apenas demagógicos. Chegou a hora de deixarmos de ser uma caricatura de país e, enfim, nos tornamos uma grande nação. Não podemos temer as mudanças que clamam aos nossos corações, é hora de atingir a maturidade e não fugir às responsabilidades.  #Crise #Congresso Nacional