#Maternidade e cobrança são duas palavras que se tornam praticamente sinônimos com a chegada dos filhos. Por mais que a "recém mamãe" tenha procurado se preparar para a maternidade, estudando sobre os cuidados nos primeiros meses do bebê, a maior parte do aprendizado irá acontecer somente após o nascimento e durante o dia-a-dia entre ela e seu recém-nascido.

Passadas as aflições dos primeiros meses, surgem novos e novos desafios, alimentação, orientação, acompanhamento quanto ao desenvolvimento físico, motor e mental e muito, muito mais. A nova mãe viverá momentos de amor, euforia, cansaço extremo, muita felicidade e também, muita frustração.

Publicidade
Publicidade

Porque o bebê não dorme? Não mama? Não come? 

Conforme o bebê vai crescendo e se tornando uma criança surgem as questões quanto ao uso de fraldas e chupetas, à obediência, à educação e cordialidade, intensifica as questões alimentares, e muito mais. Com toda essa loucura que é a maternidade, muitas mães se culpam e acreditam que estão cometendo um ou vários erros.

E o que é possível encontrar na maioria dos sites sobre o assunto, é que inevitavelmente todas irão cometer alguma falha, em algum momento da vida de seus filhos, e isso é completamente normal e compreensível. Portanto, devem evitar que o sentimento de culpa transforme esses possíveis erros em uma carga muito pesada. 

Mas e quando, essas mulheres e mães são também profissionais da área de desenvolvimento pessoal e emocional? O que acontece quando são psicólogas, coaches, médicas e pedagogas? Será que fica mais fácil? Será que erram menos?

Parece que aquele velho ditado também se aplica aqui: "Em casa de ferreiro o espeto é de pau".

Publicidade

No relato de uma coach e mãe de primeira viagem, fica claro que a maternidade é um mistério cheio de eventos surpresas, portanto, viva com o coração e lembre-se não tem certo ou errado, porque errar a maioria (para não dizer todas) as mães erram, o que vale mesmo é seguir o caminho que você se sinta segura e confortável.

"Eu sonhei e planejei a sua chegada tanto tempo antes, queria que tudo fosse perfeito, mudei minha rota profissional e encontrei no coanching as respostas que eu queria e esperava. Planejei, calculei, me programei e finalmente engravidei.

Tudo tão simples e tão certinho, estava tudo planejado, plano de metas e ações devidamente elaborado... aí, surgiu você, e ainda dentro da minha barriga começou a me mostrar que eu tinha muito para aprender com você. Meses passando mal, acometida por uma tal de hiperemese gravídica. Mas tudo bem, você crescia saudável e o dia de estar com você se aproximava. Ai, você nasce, me surpreende com seu jeitinho independente, quase que me deixando completamente carente de você, cresce e aprende, aprende e aprende...

E a sensação de desconforto comigo mesma aparece a cada dia, a cada nova fase. Você como o que quer, independente do meu esforço, é jeito de personalidade, e é muito decidido e por isso, a fralda só deixa de fazer parte da nossa vida, no dia que você entende que assim deveria ser, e foi assim com a chupeta, com dormir a noite toda no seu próprio quarto. 

Filho, só quero que saiba, que sinto muito, sinto por ser assim, tão inexperiente, eu confesso que muitas vezes não sei o que estou fazendo, e que todo o meu conhecimento profissional de nada me ajudou ou até me atrapalhou... Desculpe, mas aqui com você não consigo ser nada mais que uma mãe amedrontada e completamente apaixonada por você. Quero acertar a maior parte do tempo e me esforço com todo o meu ser, mas me perdoe se eu errar feio, ok? 

Pois é filho, como mãe, eu sou uma péssima Coach." #Comportamento