Durante toda essa semana, os maiores jornais do país, mais especificamente de São Paulo, estão divulgando, a cada dia que passa, que a oposição ao #Governo Dilma Rousseff já tem a quantidade de votos suficientes para o #Impeachment contra a presidente.

Para que o processo de impeachment siga para ser analisado no Senado são necessários 342 votos a favor do impeachment.

Até o momento de apuração das informações para esta matéria, dois dos maiores jornais, que desde sempre foram contrários ao PT no poder, já afirmam que a oposição já tem votos suficientes para a derrubada de Dilma.

O jornal Estado de São Paulo informa que a Câmara já possui 344 votos a favor do impeachment, o jornal O Globo declara 343 votos, a Folha [também apoiadora da saída do governo] diz que há 340 votos.

Publicidade
Publicidade

Além dessa divergência de informações em relação aos votos a favor do impeachment, os jornais não conseguem se encontrar nem em relação aos votos contra o processo da presidente, a Folha diz haver 124 contra, o Estadão 128, já O Globo, 118.

Além da imprensa, a oposição ao governo na Câmara também já canta vitória, nesta última quinta-feira disse haver 349 votos contra mandato de Dilma.

Jornalismo 'mãe Dináh' – No passado, deu errado

Na última eleição para a presidência do Brasil, aconteceu a mesma especulação [de derrota ao governo] por meios de comunicação que fazem propaganda antigoverno, semanalmente.

Depois do primeiro turno, um instituto de pesquisa [IstoÉ/Sensus] chegou a divulgar que o então concorrente de Dilma Rousseff à presidência, Aécio Neves, havia aberto o primeiro turno com uma vantagem de 17 pontos à frente daquela que viria a ser presidente, e, portanto, o mineiro já estava eleito.

Publicidade

A reportagem foi veiculada no portal da revista IstoÉ.

O portal UOL, da Folha de São Paulo, também se antecipou aos resultados das urnas no segundo turno e divulgou uma matéria comemorando a “vitória” de Aécio, segundo o portal uma virada “inédita”.

O mandato de presidente do Brasil dado a Aécio pelo instituto Sensus e pelo portal UOL durou cerca de duas horas, a presidente Dilma Rousseff acabou se reelegendo no segundo turno com pouco mais de 51% dos votos.

ANÁLISE do outro lado

A deputada Jandira Feghali (PC do B) já esperava a exploração e a exposição negativa de informações contra o governo por parte da imprensa e da oposição. Através do Facebook, ela alertou para que o público não se impressione com o massacre midiático de que o governo já está derrotado na Câmara, ela afirmou que a base está trabalhando para que no domingo (17), consigam barrar o processo de impeachment contra o governo. #Crise-de-governo