Uma pequena análise sobre o estado psicológico dos políticos do Brasil. Será que eles realmente se importam em deixar seus cargos? Ficam estressados, angustiados, ansiosos ou com medo? Como seres humanos que são, a resposta deveria ser sim. Mas vamos supor que a maioria deles sofra de algum distúrbio psiquiátrico como perversão ou bipolaridade, ou simplesmente sejam apáticos com o próximo, sendo completamente egocêntricos. Eles representam o povo pelo voto, mas será que, após serem eleitos pelo povo, eles pensam nas contingências deste povo que os elegeu?

Vamos analisar estes cidadãos que deixaram o presente governo a pedido da governança de seu partido: o PMDB.

Publicidade
Publicidade

Eles, logicamente, deixam seus cargos a contra-gosto, pois, quem em sua sã consciência, iria deixar um cargo governamental com um salário ótimo? Ninguém. Mas será que eles ficam depressivos e angustiados como um cidadão que recebe dois salários mínimos e de repente fica desempregado? O último, com essa crise que passamos neste ano de 2016, é capaz  de ficar, possivelmente, um ano desempregado. E o cidadão que deixou o cargo político do governo? Este fica desempregado também, mas por pouco tempo. Logo se encaixa como assessor de algum político amigo e espera novas eleições em 2018, para tentar um cargo de vereador, deputado ou fica nos bastidores bajulando este e aquele amigo até conseguir novamente um cargo por indicação.

Quem vive de política e para a política parece que não tem muito com que se preocupar em termos de ficar desempregado.

Publicidade

Fora as regalias e maracutaias, geralmente nos 365 dias do ano tudo corre tranquilamente para eles. Às vezes algo que seus "umbigos" querem não dá certo. Nem tudo podemos ter nesta vida. Mas com certeza políticos não passam por angústias de ter que sustentar a família, não tem que se preocupar com a sobrevivência, pois bem ou mal furtando, conspirando ou trabalhando sem fazer muito esforço, os políticos e seus amigos têm um padrão de vida que não deveriam ter. Afinal, são apenas representantes do povo e não representantes da classe A e A+.

Pelo modo de vida que os políticos aderem, é fácil de deduzir que a ganância impera na mente deles. Mas será que há exceções? Não sei. Está para nascer um político desta classe não gananciosa! #Dentro da política