Neste domingo, dia 17 de abril de 2016, o circo foi armado, o palhaço gritou “sim” e o espetáculo foi televisionado. A grande sonegadora de impostos, apoiadora de uma ditadura que perseguiu, prendeu, torturou e matou brasileiros, agora (e mais uma vez) foi responsável por entreter os telespectadores bestializados por sua ignorância e ódio.

Os “artistas”, como um jogador de futebol campeão, declaravam cada “sim” a Deus e a sua família, como se fosse um gol. Homens corruptos, apresentavam naquela votação um novo período da história brasileira, afirmavam que teríamos o fim da #Corrupção. Pura demagogia, afinal o processo de impeachment focava apenas nas pedaladas fiscais.

Publicidade
Publicidade

Tentavam passar a imagem de que a #Dilma Rousseff é a corrupta, de que ela é a criminosa, e não eles. A população imbecilizada por redes sociais e programas ridículos de televisão acreditava naqueles senhores, que representam séculos de domínio político e econômico na sociedade brasileira.

Assim, a péssima administradora, mas honesta, Dilma Rousseff, desde a eleição de 2014, já podia ser vista como uma carta fora do baralho. Com “queda” ou “sem queda”, ela não jogou o jogo que eles queriam, mesmo com vários retrocessos aplicados durante o segundo governo Dilma. Mas os retrocessos não foram degradantes o suficiente, a classe dominante queria mais, então ao lado dos senhores da moral, como Eduardo Cunha, réu no STF, armaram todo esse circo.

Este circo representa um retrocesso na nossa democracia, um retrocesso na história brasileira.

Publicidade

Vimos senhores saudando a ditadura militar, enquanto gritavam “sim” diante das câmeras. Latifundiários e pastores corruptos foram outros artistas desse espetáculo imbecilizante. O povo, no conforto de sua casa, pagava para ver isso, se divertia com a queda da “vagabunda”, mas não se questionavam onde estavam esses senhores um ano atrás.

Não vamos entrar no mérito de afirmar quem é corrupto, mas por que não questionarmos quem são esses senhores? Ano passado, nesta mesma época, os mesmos apoiadores do impeachment foram até o Congresso Nacional e votaram pela terceirização irrestrita. A população ignorante, que hoje solta fogos para comemorar a “queda” da Dilma (que ainda não foi afastada, pois o processo é mais complexo), não soube dessa informação e nenhuma outra, afinal, a grande sonegadora de bilhões, não armou um circo e cancelou sua programação alienante no dia da votação.

Porém, não há motivos para se estender nesse assunto, estamos em uma nova era, em um novo tempo, acabou a corrupção, acabou a ditadura petista e só temos o que comemorar. Vamos ignorar as tentativas de revogação da CLT ou do fim da multa do FGTS. Vamos ignorar um Ajuste Fiscal muito mais violento, anunciado pelo nosso futuro presidente da República. Só vamos comemorar a queda da corrupção, encarnada como uma mulher, que não possui contas no exterior e nenhuma investigação desse porte em seu histórico, diferentemente daqueles senhores. #Crise-de-governo