Embora os últimos debates em torno do futebol sejam pela transparência e menos canalhice, tenho uma conclusão assustadora para os amantes do esporte. A nossa grande sorte é que o #Flamengo não consegue se organizar. E explica-se esse pensamento nas palavras neste artigo.

O Flamengo desde sempre foi o time com mais potencial do futebol brasileiro. A torcida rubro-negra fatalmente, quer queira quer não, é a maior do Brasil, sem sombra de dúvidas. O Mengão tem torcedor no norte (e tem muitos por lá) e no sul. Tem amantes onde o futebol é vivido intensamente e tem apaixonados onde poucos times se destacam. Em alguns estados, a torcida Flamenguista se coloca como a terceira.

Publicidade
Publicidade

Agora imaginem se o Flamengo se organiza? Imagina esse clube com dirigentes sempre bem intencionados, sempre ligados no melhor para o clube, todos em prol do Flamengo trilhar o caminho dos títulos. Certamente se isso acontecesse, o Flamengo seria um dos maiores clubes do mundo. 

Recentemente foi divulgado um balanço onde mostra que o Flamengo faturou R$356,2 milhões em 2015. O valor representa cerca de 2,6% a mais que no ano anterior, quando o clube da gávea levantou R$ 347 milhões. Isso, no entanto, não representa novidade pra ninguém. É fato que o clube rubro-negro tem, ou pode ter, em todos os casos de negociações vantagens. Mas isso não é por causa da malandragem carioca, mas sim um direito conquistado por ser o clube mais popular do Brasil.

Não é difícil de imaginar que qualquer receita com patrocínio é bem maior para o Flamengo do que para Atlético e Cruzeiro, por exemplo, ou Internacional e Grêmio.

Publicidade

Ou então se tivesse um programa de sócio torcedor sempre melhor, que conquistasse a melhor colocação em número de sócios - afinal tendo a maior torcida é só fazer várias modalidades e teria facilidades e mais dinheiro em caixa, novamente um destaque sobretudo financeiro.

A camisa do Flamengo pesa. Os dirigentes, no entanto, não fazem isso valer. Ou se fazem, não mostram. Pois, na contramão de tudo isso o clube mostra que deixa o tempo passar. 

O Flamengo tem hoje cinco campeonatos brasileiros. Citei essa competição por acreditar que é a mais importante do futebol nacional. O último título foi apenas em 2009 - em uma arrancada espetacular. Antes disso tinha sido apenas em 1992. 

Voltarei a Minas para exemplificar a situação: o Cruzeiro com menos renda e menos torcida tem quatro títulos nacionais, três deles em 2003, 2013 e 2014. 

Daí corro pra apresentar os números da Copa Libertadores. O Flamengo só tem uma, em 1981. Depois disso conquistou uma Copa Mercosul - que pode ainda representar uma taça de grande importância.

Publicidade

Voltando a Minas Gerais, o Atlético-MG se organizou e conquistou nos últimos dois anos uma Copa Libertadores e uma Copa do Brasil. 

Se estamos comparando, vamos lá: o Corinthians, que se mostra como segunda força no Brasil, se organizou. Após a dura queda para a série B mudou o rumo das coisas. Conquistou títulos brasileiros, Copa Libertadores e até um Mundial. 

E é por isso que eu digo: temos muita sorte que o Flamengo não consegue se organizar. O futebol brasileiro poderia tomar o mesmo rumo que o europeu, com dois grandes definindo tudo todos os anos e vez ou outra um clube de "menor expressão" chegaria pra tentar acabar com a hegemonia.  #Campeonato Brasileiro