Não é torcer pelo quanto pior melhor, mas o tanto que estamos sofrendo desde que a oposição se obstinou a roubar o poder de Dilma nos dá o direito de saborear as novas intrigas com certo prazer. Quando a discussão do #Impeachment ainda tramitava na Câmara, em outro artigo nesta mesma coluna eu questionei o que poderíamos esperar de golpistas, imaginando que eles golpeariam a si mesmos, pois é de sua natureza. Vamos checar isso.

Fernando Henrique Cardoso já disse ao jornal O Globo que "o PSDB está ciente do risco de apoiar Temer" e que "o novo líder ainda está por vir". Paulo Henrique Amorim, do "Conversa Afiada", especula se esse líder é Aécio, que "não desgrudou de Temer" na cerimônia da posse.

Publicidade
Publicidade

Pobre Temer... Se a inveja que Aécio sentiu de Dilma voltar-se contra ele, está frito...  Paulinho da Força, da tropa de choque de Cunha, que já não serve para mais nada, deu entrevista à Folha referindo-se à reforma da Previdência proposta por Henrique Meirelles, agora Ministro da Fazenda, como "estapafúrdia". Alertou que o  que se espera de Temer é que cumpra o que foi acordado com os trabalhadores nas recentes reuniões sindicais e que a Força Sindical resistirá ao que considera um ataque a direitos e conquistas da classe trabalhadora. Zezé Perrella, em entrevista à "BBC Brasil", confessou que o afastamento de Dilma foi político e sinalizou que Temer que se cuide, porque já há muita insatisfação dentro do PSDB e também do PTB por conta das composições dos ministérios e se apenas três senadores mudarem seu voto, Dilma volta.

Publicidade

Enquanto isso, o primeiro dia de #Governo interino de Temer já teve manifestação contra o golpe na Paulista. Uma manifestação que juntou muita gente e que, apesar de não ter tido a justa atenção da Globo, como já era de se esperar, foi divulgada pela mídia alternativa através de vídeos que não escondem a grande insatisfação de parte da população. Mendonça Filho, do DEM, que já havia enfrentado manifestantes que o acusavam de golpista em um aeroporto de Recife, e tentara desqualificar a ação como "choro de derrotados", teve que enfrentar nova manifestação ao assumir o Ministério da Educação e Cultura. Os manifestantes, que enchiam a sala e carregavam cartazes de "Vaza Mendonça Filho" e "Não reconhecemos governo golpista", gritavam palavras de ordem contra a fusão do Ministério da Cultura com o da Educação. Mendonça Filho posava de cara de pau em meio à bagunça. Aliás, cara de pau é o que não falta a essa oposição golpista, ou não teria chegado até aqui. Hélio Bicudo, "inventor" do impeachment de Dilma junto com Reale e Janaína Paschoal, gravou um vídeo em que se manifesta feliz pelo afastamento da presidente, mas preocupado com a formação do novo governo, porque "o povo brasileiro foi às ruas para repudiar a cleptocracia comandada pelo PT.

Publicidade

O povo brasileiro não foi às ruas para sofrer mais um desapontamento." Ou seja: Bicudo já está considerando o novo governo um governo de ladrões. Cabe a pergunta: mas ele não sabia quem substituiria Dilma caso seu projeto vingasse? Ou pensou que quem a substituiria seria Janaína Paschoal, a "brilhante" jurista com síndrome de pastora que colocou o país em risco por R$45.000,00? Para ela as coisas também não tem sido fáceis. Circula pela rede uma foto dela, em sala de aula, com um cartaz às suas costas: "GOLPISTA". E pelo Facebook os "vomitaços" nas páginas de políticos que participam do golpe proliferam. Será que eles pensaram que seria fácil?

Mendonça Filho em seu primeiro dia como ministro: 

#Dilma Rousseff