Ocorreu no último domingo (15), a quarta edição da Marcha LGBT da cidade de Maceió, no estado de Alagoas. O evento, que tem como proposta combater a homofobia, teve participação dos movimentos negros. A marcha chamou atenção de quem andava pelo local, além de ter sido marcada por manifestações culturais e artísticas.

O presidente da Central LGBT de Alagoas, Messias Mendonça, foi o organizador do evento. Segundo ele a comunidade ainda tem vários direitos limitados, apesar dos avanços conquistados nos últimos anos. Um dos direitos que ele cita é o atendimento em delegacias nos casos de violência.

Messias explica que infelizmente ainda não existe uma delegacia especializada, nem sequer uma ala dentro da delegacia da mulher, que possa atender ao público LGBT que é vítima de violência, especialmente as travestis e transexuais.

Publicidade
Publicidade

Abneia Miranda é uma militante que veio de Petrolina, Pernambuco, somente para acompanhar o evento, e explica que a marcha é a “forma que a comunidade LGBT encontrou de combater uma sociedade violenta, patriarcal e machista’’ segundo palavras da mesma, citada no Gazeta Web. Ela ainda enfatiza que essa mesma sociedade também pratica uma ‘’violência psicológica e física contra as minorias’’.

A marcha iniciou às 15h30 e foi finalizada após às 20h30, percorrendo toda a orla da praça de Pajuçara. Segundo organizadores do evento, a expectativa era cerca de 30 mil pessoas participarem. 70 polícias militares estiveram no local, para garantir a segurança. Um dos policiais afirmou que é um direito que as comunidades têm de se expressar, e que estaria ali para evitar que conflitos e confusões, roubos e outros problemas estragassem um dia tão importante.

Publicidade

O grupo ‘’Afoxé Povo de Exú’’ também fori convocado para participar do evento. Segundo eles, é precisao estar junto ao movimento. “Somos todos uma só raça, todos iguais, e juntos seremos mais fortes para enfrentar as dificuldades.

A marcha LGBT de Maceió surgiu em 2013, e esta já é a sua quarta edição, sendo realizada com bastante sucesso. Além de mostrar os direitos de expressão da comunidade, ainda traz um show artístico de cultura. #Entretenimento #Manifestação