No dia 17 de maio, é comemorado o Dia Internacional Contra a #Homofobia, Transfobia e Bifobia. A data foi criada em 2004 para chamar a atenção de movimentos sociais, da mídia, de políticos e de líderes de opinião sobre a violência e preconceito que o povo LGBTI tem vivenciado pelo mundo.

O Dia Internacional Contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia (International Day Against Homophobia, Transphobia and Biphobia) é celebrado em mais de 130 países. Segundo o comitê do IDAHO, criado em 2005, o dia 17 de maio foi escolhido para comemorar a decisão da Organização Mundial da Saúde, tomada em 1990, de desclassificar a homossexualidade como um transtorno mental.

Publicidade
Publicidade

A data que ficou conhecida mundialmente pelo combate à homofobia foi adicionando outras letras em seu acrônimo, IDAHO, adicionando também a transfobia e a bifobia – IDAHOT e IDAHOBiT.

Por um mundo com menos homofobia e mais respeito

De acordo com o site do IDAHOT, a data também é celebrada em 37 países em que o relacionamento entre pessoas do mesmo sexo é considerado ilegal. As mobilizações ajudam a apoiar os direitos humanos, independente da orientação sexual, identidade de gênero ou expressão.

No Twitter, os usuários subiram a hashtag #MenosHomofobiaEMais com mais de 30 mil tweets (até o momento em que o texto foi escrito), que está entre as mais comentadas no Brasil. Os brasileiros compartilharam imagens e opiniões sobre o assunto. A data é importante para dar visibilidade à comunidade LGBT, que ainda sofre com a discriminação, violência e crimes homofóbicos.

Publicidade

O tema deste ano para o Dia Contra a Homofobia é a saúde mental e o bem estar. Segundo o comitê responsável pela criação da data, apesar de o preconceito contra homossexuais ser cada vez mais condenado pelas associações psiquiátricas, quando se trata de identidade do gênero e dos trans, ainda existem muitos problemas. Muitos profissionais ainda relacionam identidades trans aos transtornos mentais, por exemplo, obrigando que essa população obtenha uma série de aprovações médicas e sociais para serem reconhecidas legalmente.

Todo esse preconceito contra a população LGBT ajuda a criar estigmas sociais, aumentar problemas de identificação, autoestima, autoaceitação, contribuindo para um aumento na taxa de suicídios e tentativas de suicídios, principalmente, entre os mais jovens que são perseguidos e discriminados.

Outro problema atual que ainda acontece pelo mundo, apesar de serem proibidas e não funcionarem, são as terapias de conversão, ministradas por "ex-gays" e religiosos. As crianças e jovens acabam sendo mais vulneráveis e por serem vítimas de tanta pressão acabam se envolvendo em automutilação e tragédias.

Publicidade

Alguns estados do mundo possuem leis que protegem esses jovens, mas ainda há muito que precisa ser feito para reforçar os direitos dos gays, lésbicas, trans e demais minorias pelo mundo.

Confira alguns tweets de quem está apoiando O Dia Internacional de Combate à Homofobia pelo Brasil

Por um mundo com #MenosHomofobiaEMais respeito. Compartilhe! #Internet #Comportamento