Eu estou com caderno e livros do meu lado, mas não consigo estudar. O meu pensamento a todo momento está na menina de 16 anos que foi violentamente estuprada por mais de 30 homens. Não, não foi na Índia. Não, não foi em algum país pobre da África. Isso aconteceu aqui, no Brasil, no Rio de Janeiro, cidade-sede das Olimpíadas.

As notícias internacionais chocam. A de hoje, daqui, choca, revolta, fere. Alerta. Estamos diante de um país que viabiliza a cultura do estupro. Um país em que os criminosos divulgam a barbárie nas redes sociais. Não vi o vídeo. Não teria coragem. Ninguém deveria ter. Quem compartilha as cenas é conivente, ajuda a propagar a #Violência e a diminuir a dignidade da vítima.

Publicidade
Publicidade

Sim, vítima. Temos que reforçar porque, apesar do #Crime atroz, há pessoas culpando a jovem pelo que lhe aconteceu. Não importa onde ela estava, com que roupa estava, se engravidou ainda adolescente. Ela JAMAIS mereceria ser violentada. NENHUMA mulher jamais merece ser violentada.

Acontece que o discurso machista sempre vigorou por aqui. Nem a presidente eleita teve sua honra respeitada. Não é possível esquecer os adesivos que há pouco tempo circularam em automóveis do país e que representavam Dilma Rousseff em posição sexual. As pernas abertas simbolizando a violência. Não reproduzo as imagens, enjoa-me pensar que alguém, em algum momento, viu graça na situação. Violência contra a mulher não é piada.                   

Hoje, vimos o país, pro bem ou pro mal, debater a cultura do estupro.

Publicidade

Temos que combatê-la diariamente. Eu sinto a dor da jovem violentada, todas nós sentimos. Rogo para que ela se recupere, física e emocionalmente. Cobro para que o crime seja punido, para que cada um dos bandidos seja encontrado e condenado. Quero voltar pros meus livros, pros meus estudos, sem pensar que a poucos metros de mim uma mulher corre perigo, sem pensar que eu também corro perigo. É uma missão, hoje, impossível, eu sei. A violência é diária, a luta é também diária. Vamos adiante. Cabeça erguida, punho firme, faca nos dentes. O Brasil tem que respeitar a gente. #Justiça