O pedido do Papa Francisco, para que hoje, durante a votação do processo de #Impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado, haja "paz e harmonia" no Brasil, soa estranho aos ouvidos dos brasileiros.

Como ter "paz e harmonia" quando vivemos em um país onde os representantes do povo não nos levam a sério? Quando vivemos num país onde as regras estabelecidas na Constituição Federal sempre têm dupla interpretação e defendem os interesses de quem as utiliza? Onde um analfabeto pode se eleger deputado federal e vir a integrar a Comissão de Educação? Como ter "paz e harmonia" quando os governantes que hoje brigam a todo custo e preço para se manter no poder dão as costas para os programas de desenvolvimento humano, para a Educação e para a Saúde? Quando brincam com a Constituição Federal? Como ter "paz e harmonia" quando vivemos num País onde a violência aumenta a cada dia?

Vivemos um momento histórico, mais uma vez. 

Pelas manifestações que estão ocorrendo no país, tanto a favor quanto contra o impeachment da presidente, está evidente que o povo brasileiro está aprendendo a reivindicar seus direitos, a defender com unhas e dentes aquilo que acredita ser correto, verdadeiro.

Publicidade
Publicidade

Um professor universitário sempre dizia que "não importa o que pensem, mas importa que pensem".

Isso quer dizer que ter opinião e ter o direito de defendê-la, sem invadir o mesmo direito de quem tem uma posição diferente da sua, é o que vale em um País onde impera o direito democrático.

O Papa tem todo o direito de pedir "paz e harmonia", assim como temos o direito de dizer que o momento não é para isso. Nós, brasileiros, fomos harmoniosos por muito tempo e o que está acontecendo hoje é reflexo dessa postura apática. Hoje, temos que ser críticos, conscientes, conhecedores dos nossos direitos, sem esquecer dos nossos deveres.

Que hoje, durante a votação, não haja "paz e harmonia", mas que a democracia plena vença e dê esperanças ao povo brasileiro. E que a partir de amanhã, os programas de desenvolvimento econômico e social comecem a ser retomados e o ano efetivamente inicie para os brasileiros, pois o Carnaval já passou.

Publicidade

#Crise #Crise no Brasil