Nos últimos meses, a sociedade brasileira se uniu para confrontar um governo soterrado em escândalos de corrupção. Não resta dúvida de que Dilma Rousseff deixou seu governo se envolver em todos os tipos de erros possíveis, incluindo as pedaladas fiscais que motivaram o #Impeachment. Com o país mergulhando numa crise sem precedentes, foi omissa. Ficou por mais de oito meses sem fazer um pronunciamento para explicar o que estava acontecendo, ou mesmo, para apresentar alguma solução prática.

Promoveu aumentos abusivos nos combustíveis e energia, molas propulsoras do progresso com promessas de que tudo voltaria ao normal em pouco tempo e não cumpriu o que disse.

Publicidade
Publicidade

Desta forma, inviabilizou o crescimento e atingiu em cheio os pequenos negócios do país.

Não aceitou críticas e se deixou levar pelo acomodado comportamento de sua base política, feita por indivíduos de pensamento único, que adotoram a prática de rebater os pensamentos da oposição e até da opinião pública, com exemplos de atitudes iguais e erradas deles no passado. Era então defendida por um grupo antipático e carrancudo o tempo todo.

Teve excesso de zelo com o seu apadrinhado político #Lula, visto no momento como um mau exemplo de político com suposto envolvimento na operação Lava Jato. Deixou se levar pelo cuidado demasiado com os programas sociais, uma base eleitoral que o PT acredita que o manteria por muito tempo no poder.

Foi extremamente infantil no episódio em que procurou blindar Lula de uma possível prisão naquele fatídico telefonema ao ex-presidente.

Publicidade

Ameaçada pelo impeachment, desandou a realizar reuniões com seus correligionários no palácio, evidência clara de chamar a atenção da mídia para os seus discursos onde o que mais citava era o “golpe”.

Não soube conter a debandada dos aliados de seu governo. Dizia que era a favor da Operação Lava Jato, mas teve várias atitudes em que se demonstrava incomodada com o andamento das investigações.

Enfim, foi incapaz de fazer um governo para todas as classes sociais e, dependendo do lugar em que estava, se tornava uma figura antipática, perfilada pela arrogância dos petistas mais conservadores.

Não deu bola para o avanço e crescimento das manifestações populares. Quando surgiu uma grande faixa escrita “impeachment” numa destas manifestações em São Paulo, deu para notar que aquilo era o começo da perda de um governo. #PT