As pessoas estão muito felizes com a chegada da tocha olímpica no Brasil. Este fascínio pelo fogo existe desde a antiguidade, a simbologia faz parte do misticismo, da cultura e também das artes. O símbolo das Olimpíadas está há uma semana no país e arrasta multidões por onde passa. A passagem da tocha vem acompanhada por malabarismos e atravessa cidades, seja por terra, água ou mar. Já teve participante que conduziu a chama olímpica por uma descida de rapel ou nas alturas dentro de um balão. Por onde a chama olímpica passa provoca fascínio e desperta admiração nas pessoas. O desdobramento do fogo é tão antigo quanto a época das cavernas.

Na antiguidade, o fogo era considerado um elemento divino para os gregos, porque ele aquece, ajuda alimentar e protege.

Publicidade
Publicidade

Para acender o fogo, era usado uma espécie de espelho côncavo que direcionam os raios do sol para um ponto específico.Os gregos mantinham as chamas acesas em seus templos, que era considerado uma casa divina. O Santuário de Olímpia era um deles, e foi palco dos jogos originais. De lá para cá muita coisa mudou, mas o fogo ainda fascina místicos, atletas e artistas. As pessoas comemoram a passagem da tocha com muitas atrações e atividades na cidade.

A chama olímpica tem muitas vantagens, traz trégua temporárias nas guerras e também traz muita alegria para as pessoas, inclusive para os condutores. Ela representa nossa fragilidade e mortalidade. Se a gente não se esforçar, seja no esporte ou no resto, assim a chama se apaga. A chama da tocha olímpica representa uma energia transformadora. Ajuda a lidar com os problemas do dia a dia.

Publicidade

Para os atletas, a chama olímpica é um símbolo sagrado, que é comparada como nossa condição humana. Todos estão felizes com o evento do revezamento da tocha e vão guardar esses momentos inesquecíveis.

Hoje a passagem do fogo olímpico foi na cidade de Curvelo, Minas Gerais. O revezamento da tocha passou e fez muito sucesso nas ruas da cidade. O destaque do evento são os moradores locais, que são voluntários no comboio. Na hora da passagem todos dão as mãos e formam a passagem do condutor. Amanhã a chama estará em Dantas, cidade do triângulo mineiro. #História #Rio Cultura