Antigamente eram simplesmente rotulados como "mendigos" e, praticamente todos eles, conhecidos da população nas cidades onde viviam, sobretudo por que seu número era pequeno e, de modo geral, eram sempre encontrados em determinadas regiões urbanas. Experiências pessoais de desencanto, vícios incontroláveis, marginalização social e desemprego crônico, profundamente incrementados pela crise econômica do país, transformaram aqueles personagens da vida real em uma verdadeira população errante pelos logradouros públicos. Praças, viadutos e marquises tornaram-se domicílios. 

Apenas seis cidades do interior do estado de São Paulo contabilizam 3 mil #Moradores de Rua - Campinas, São José dos Campos, Ribeirão Preto, Sorocaba, São José do Rio Preto e Santos. O suporte institucional estatal, quando existe, não é suficiente ou tem natureza emergencial e, por isso, efêmera.

Publicidade
Publicidade

Por outro lado, muitos desses indivíduos não querem sair das ruas. Além disso, mesmo experiências médicas de tentativas de tratamentos de saúde dessa população alcançam baixa adesão por parte destes desabrigados.

Nessas condições, há quem se sensibilize com tal situação e se mobilize para oferecer caminhos de saída para aqueles que assim o desejem, mas também alternativas de resgate de um pouco de dignidade para os que preferem permanecer nas ruas, pelos seus próprios motivos. Assim surgiram iniciativas como o Banho Solidário (em Vitória da Conquista-BA e Porto Alegre-RS), que disponibiliza em um trailer adaptado a oportunidade para um banho quente, para pentear-se e barbear-se, com espaços masculino e feminino; o Entrega SP (na capital paulista), que oferece um cobertor impermeável, com faixa reflexiva, que se transforma em uma mochila; o Reverse Delivery ("entrega reversa"), também na capital paulista que, através de parceria com estabelecimentos que trabalham com entregas de alimentos (pizzas, sanduíches etc.), indagam do cliente, no momento do pedido, se está disposto a doar algum alimento, sem sair de casa; e tantas outras que a criatividade e a boa vontade são capazes de produzir. São os anjos do asfalto que olham pelos que vivem nas ruas.

Publicidade

#Comportamento