Finalmente, hoje, após muito discurso, muita enrolação e muita intriga, o Conselho de Ética aprovou o relatório do Deputado Marcos Rogério, a favor da admissibilidade da cassação de #Eduardo Cunha. Uma novela que se arrasta por 8 meses, mas que, agora, nos dá alguma esperança de ter um final justo. O povo não aguenta mais ver corruptos se unindo em defesa de alguém indefensável, em detrimento do Brasil.

Fora todas as acusações de envolvimento em #Corrupção que pesam contra Cunha, e o inegável fato de ter mentido à Câmara ao dizer não ter contas no exterior, assistimos, desde a posse de Dilma, à forma de atuação absolutamente ditatorial e desonesta desse verdadeiro cancro para a democracia.

Publicidade
Publicidade

Alguém que usa o profundo conhecimento que tem do regimento interno para manipular todos os resultados a seu favor. Cunha tinha um único intento desde que se iniciou esse processo contra ele: livrar-se da prisão. Uma inteligência a serviço do mal.  

Todo o Brasil se pergunta, há meses, de onde vem a resistência de Cunha. Seu afastamento foi protelado a ponto de Dilma, cujo processo de Impeachment começou depois do pedido de afastamento de Cunha, ser afastada antes dele. E a ponto de colocar sob suspeição até mesmo o STF, que só interviu depois do estrago feito.

Há pouco tempo, a deputada Luiza Erundina disse, em entrevista a Mario Sergio Conti, no "Diálogos", que a campanha de Cunha para a presidência da Câmara foi tão milionária quanto às campanhas para a presidência da República. Dinheiro sujo, que comprou uma parte dos deputados, que passou a constituir uma verdadeira "tropa de choque", que defende Cunha com toda veemência e a qualquer custo.

Publicidade

Sim, porque defender personagem tão rejeitado pelo Brasil inteiro não é algo que não traga consequências.

Hoje, 9 deputados o defenderam e cabe a todos nós ficarmos atentos, porque são políticos que merecem toda desconfiança do mundo e que nunca mais votemos neles.

Alguns personagens merecem destaque nessa votação de hoje. Tia Eron, que foi tremendamente pressionada por políticos e massacrada nas redes sociais nos últimos dias, felizmente, repensou e, apesar de ter exagerado no teatro, se redimiu, votando contra Cunha. Em sua fala antes do voto, fez suspense e advertiu os colegas da Câmara de que ninguém "manda nessa nega". Durante o voto, recomendou à imprensa a leitura de Humberto Eco e de Darcy Ribeiro, quando fala sobre a "desconstrução do óbvio". E o deputado Wladimir Costa, que fez um longo discurso, dizendo ser impossível concordar com o relator, mas depois, surpreendentemente, concordou, votando "sim".

O inacreditável advogado de Cunha, Marcelo Nobre, prometeu recorrer.

Logo após a aprovação da admissibilidade do afastamento de Cunha, um juiz federal bloqueou todos os seus bens, a pedido do Ministério Público.

Publicidade

O grande escritor brasileiro Nelson Rodrigues, que radiografava a alma humana e a expunha com fantástica crueza, dizia que "dinheiro compra até amor verdadeiro". Esse deve ser o caso desses aliados tão devotos. Eles "amam" Cunha.   

Vejamos agora, sem dinheiro e, talvez preso, se Cunha terá "influência" suficiente para continuar merecendo o respeito de sua tropa de choque. Acompanhemos.

Aqui vão os nove deputados que votaram a favor de Cunha. Esta lista é para ser salva: 

  • Alberto Filho (PMDB-MA);
  • André Fufuca (PP-MA);
  • João Bacelar (PR-BA);
  • Laerte Bessa (PR-DF);
  • Mauro Lopes (PMDB-MG);
  • Nelson Meurer (PP-PR);
  • Sérgio Moraes (PTB-RS);
  • Washington Reis (PMDB-RJ);
  • Wellington Roberto (PR-PB);

Veja o voto da Tia Eron:

#Câmara dos Deputados