Há pouco mais de um mês várias pessoas têm se interessado por uma página que se propõe a enaltecer o que possa ter sido suavizado nas notícias de jornais impressos, bem como no online. O intuito é revelar justamente algo que possa ter sido manipulado na manchete de modo a atenuar ou mascarar uma situação. A “caneta”, controlada pelo titular da página, ou até mesmo pelo público em geral que quiser enviar suas “desmanipulações” – e existe até um grupo para isso -, funciona da seguinte maneira: se você leu uma manchete e acredita que ela pode ter sido manipulada de acordo com a disposição das palavras que foram escolhidas ou até mesmo pelo viés político ou sócio econômico do jornal, você pode reportar a ocasião riscando as palavras inconvenientes e reescrevendo-as de modo explícito, ou seja, de maneira clara e sem amenizações.

Publicidade
Publicidade

Ao terminar os rabiscos, você pode publicar seu feito nas publicações dos visitantes, no grupo da página ou enviá-lo pelas mensagens do Facebook diretamente para o titular da página ou administradores.

Uma manchete da Folha de S. Paulo, ao passar pelos retoques dessa caneta, passou de “Windows 10 é adotado por mais de 270 milhões de usuários em oito meses” para “Windows 10 é instalado coercitivamente por quase todos os 270 milhões de usuários em oito meses”.

Em seus menos de dois meses de existência (iniciada em maio desse ano), a página da “Caneta Desmanipuladora” já possui mais de 120 mil curtidas, e permanece aumentando seu número de curtidores e seguidores. A maioria das notícias postadas possui viés político, de maneira em que é proposto mostrar um lado explícito de como uma notícia pode ter sido esquematizada para “ficar bonita” para o leitor. A interação com o público é um grande investimento na fidelização daqueles que consomem conteúdo nas redes sociais, e é principalmente o que mantém a página em alta.

Publicidade

Há postagens que vão de 5 mil a mais de 8 mil compartilhamentos. O que só o futuro dirá é o período em que a página ficará em ascenção. Para acompanhá-la de perto, basta logar-se no Facebook ou acessar a página pela URL, mesmo sem se logar. #Comunicação #Opinião #Conectados