Dizer que não há similaridades entre o Brasil e a Itália, é uma missão impossível. A herança de nossos ancestrais se faz presente em nosso cotidiano, à nossa mesa, e agora, sobretudo, nos aspectos jurídicos e econômicos.

A atual #Lava Jato é um exemplo. Cópia fiel para alguns ou simulacro mal feito para outros, tenta seguir os caminhos da operação Mani Pulite (Mãos Limpas) italiana que, nos anos 90, levou muitos políticos e empresários à cadeia e ao suicídio, e no caso do líder de esquerda, o ex-primeiro-ministro Bettino Craxi, ao exílio, fugindo para a Tunísia.

A operação também agravou uma série de desajustes econômicos já existentes no país, e propiciou o surgimento de novos métodos de #Corrupção, absolvição e ascensão de novos corruptos por meio de mudanças na legislação - aí reside uma das principais semelhanças com o Brasil, pois há aqui novos projetos de lei para os mesmos fins. 

Tanto no Brasil quanto na Itália, uma coisa é certa: é a população endividada, e pior, desempregada, que pagou e paga a conta por todo esse imbróglio.

Publicidade
Publicidade

A Itália, à época, era industrializada e participava de uma União Européia forte, e mesmo assim sofreu consequências, ao contrário do Brasil de hoje, escravo dos serviços e da balança comercial. 

À diferença da Lava Jato, a Mani Pulite italiana extinguiu partidos. Porém, não contou com a ajuda do monitoramento e do controle internacional sobre as transferências bancárias, mais um ponto favorável e facilitador para a versão tupiniquim de hoje. Talvez sem ele, não fosse possível agilidade nas investigações, e tampouco na obtenção de provas.

De fato, para estas duas nações, a corrupção é endêmica e pode ser amenizada por algum tempo, porém nunca acaba. Sêneca, grande filósofo e intelectual do Império Romano possui algumas citações a fim de entender todo esse processo. Entretanto, apesar do otimismo momentâneo do mercado brasileiro nos dias atuais, os preços ainda estão galopantes, e a crise político-econômica e o desemprego continuam.

Publicidade

E no futuro, virão outras e outros.  #Crise econômica