Algo está errado, muito errado. Não é incomum ver homens se denominando pastores, bispos e pregadores da palavra. Essas pessoas abusam do “poder” que tem sobre outros indivíduos, eles estão usando o nome de Jesus para enriquecer e ganhar cada vez mais seguidores. Dessa vez, a forma encontrada para enganar pessoas é com o sabão em pó "milagroso".

Na bíblia fala da visita de Jesus ao templo e de como ele se irritou ao ver o comércio que acontecia ali “Tirai essas coisas daqui; não façais da casa de meu Pai, casa de comércio.” Mateus 21:12. Atualmente, a situação não está muito diferente. Você pode lembrar também do surgimento da reforma protestante, na Idade Média.

Publicidade
Publicidade

Nessa época, a Igreja Católica tinha diversas práticas equivocadas, vendia indulgências e produtos milagrosos, que na prática não tinham eficácia. 

A venda do sabão em pó "ungido" aconteceu em um canal de televisão. Um pastor neopentecostal usou seu horário na TV para divulgar o produto criativo. Essa não é a primeira vez que algo assim acontece, você mesmo já deve ter visto trechos de vídeos na internet com anúncio parecidos. O mais recente é o sabão em pó milagroso.

A propaganda do sabão foi anunciada no programa “Agenda dos Pastores”, exibido no horário da Igreja Internacional da Graça, do missionário R. R. Soares, na RedeTV. No vídeo, o pastor anuncia o “saquinho de sabão em pó milagroso, que limpa como Jesus”. Segundo ele, o sabão é exclusivo, foi ungido e contém “uma bênção especial”. 

Ele ganhou até nome: “sabão do lavandeiro”.

Publicidade

É comparado a uma passagem bíblica do Velho testamento, que trata do julgamento de Deus sobre a humanidade. Na passagem bíblica diz “Mas quem suportará o dia da sua vinda? E quem subsistirá, quando ele aparecer? Porque ele será como o fogo do ourives e como o sabão dos lavandeiros. Malaquias 3:2.

O vídeo tem recebido severas críticas de evangélicos e católicos. Os comentários são dos mais diversos possíveis, mas a maioria das falas é chamando o pastor de estelionatário e falso profeta.

#Religião #Rede Record #Fanatismo religioso