Com os Jogos Olímpicos se aproximando e com a policia prendendo suspeitos de #Terrorismo, o governo tenta manter uma política de boa vizinhança, dizendo que está tudo sob controle, porem há dois discursos. 

Um voltado sempre para o público geral, tranquilizador, para não gerar pânico entre a população. O governo usou a Operação Hashtag tentando provar a todos uma ação preventiva.

Por outro lado, com uma fronteira terrestre imensa e bem mais fácil de ser penetrada, o desafio de cuidar da segurança de milhares de moradores e turistas no maior evento do mundo não é menor. É correto não assustar a população, por outro lado não podem ser subestimados os atuais riscos de atentados terroristas.

Publicidade
Publicidade

Alexandre de Moraes, atual ministro da Justiça, juntamente com o ministro da fazenda Raul Jungmann, bateram cabeça mais uma vez dando informações desencontradas. O juiz Federal Marcos Josegrei da Silva, que cuida do caso, defendeu a prisão de 10 pessoas suspeitas de ligação com grupo terrorista Estado Islâmico, mas disse que elas não podem ser chamadas de terroristas por que nada se confirmou ainda.

O governo deve explicações sobre essas descobertas da PF?

Ação positiva ou negativa?

Muitos veem as Olimpíadas como um cenário ideal para o presidente interino Michel Temer assumir de vez seu posto como Presidente do Brasil. O fato é que, em meio a duas crises, política e econômica, Temer pode se dar "bem".

Os Jogos Olímpicos foram conquistados pelo Brasil em 2009 durante a gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e todos os preparativos de infra-estrutura ocorreram durante o governo Dilma.

Publicidade

Temer tem a função de garantir a segurança de todo o país nesse período.

A segurança da Copa do Mundo foi bastante elogiada pelo mundo fora e bastante comemorada pelos governantes brasileiros. se esse sucesso se repetir durante os jogos do Rio de Janeiro, a repercussão do Brasil no exterior seria bastante positiva, principalmente para Temer que tem vindo a sofrer críticas na mídia internacional relativamente à forma como tem gerido a relação com a oposição interna. #Rio2016