Sempre foi e será fácil julgarmos as pessoas, fazemos isso com perfeição. Não nos colocamos no lugar delas, até porque achamos que lugar ruim nunca foi feito para ser nosso.

Bem, tudo isso faz parte do nosso egoísmo e ficamos muito bem quando achamos que nada que não seja agradável pode acontecer conosco.

Todos nós nascemos, e quando somos crianças temos muitos sonhos, brincamos com vários brinquedos, corremos, pulamos, cantamos, fazemos muitas bagunças que fazem parte do nosso desenvolvimento.

Nossos pais, por outro lado, querem que desenvolvamos todo nosso potencial para sermos bem sucedidos nessa vida.

O mundo das crianças é um mundo mágico, onde elas podem fazer o que quizerem com os seus brinquedos.

Publicidade
Publicidade

Imaginam ser doutores, enfermeiros, policiais, juízes, comissários de bordo, engenheiros, mecânicos, motoristas, cantores e etc.

Mas, quando nascem na guerra, esse cenário de magia se transforma em pesadelo. No lugar de brinquedos, apenas armas, que se transformam em uma única maneira de se proteger.

Ouvem tiros em todas as direções, sem ao menos saber o que está acontecendo. Pessoas morrendo, pessoas matando! Os pais tentando protegê-los e, muitas vezes, morrendo também.

Os filhos perguntam: o que está acontecendo, por que estão nos atacando? E o pai responde: eles acham que somos terroristas.

E as crianças crescem ouvindo isso, vendo os horrores que o ser humano é capaz de fazer. Sendo assim, como todos nós temos a capacidade de nos adaptarmos nas situações severas, então essas crianças também o fazem.

Publicidade

Tudo se torna normal e a violência tende a crescer! terrorismo

Se tornam os filhos da guerra, os soldados da liberdade! Começam a acreditar que também têm a missão de destruir aqueles que despejam toneladas de explosivos e matam seu povo.

Enquanto isso, como será a vida de seus pais? Como protegê-los se não os concederem o direito de lutar? E mais um bombardeio tira a vida e consome o povo. E aí, o que fazer?

Outras crianças já nascem com os pais incentivando-os a serem terroristas, com uma vigança, uma fúria desmedida, porque seus pais morreram numa guerra da qual eles não faziam parte. Sim, aquela guerra, onde outros países apenas querem impor a sua própria ditadura, o seu próprio estilo de vida, o seu próprio governo.

Toneladas de explosivos caem do céu, matando milhares de pessoas do povo que é considerado terrorista e nada se fala sobre aquelas vidas. Porém, quando um terrorista ataca, o mesmo povo que os ataca, todo mundo entra em choque.prisao-de-suspeitos-de-planejar-atentado-

Uma luta onde não há vencedores, todos perdem! Uma luta desumana, dos dois lados! Uma luta em que muitos inocentes entram porque não têm escolha.

Publicidade

E se fôssemos seus pais? E se morássemos lá? Qual seria a nossa relação com esses países?

Países esses que vêm para dizer que estão nos libertando de uma ditadura horrível, e eles até têm razão, porém, mataram todo nosso povo, que era inocente e toda nossa família.

Onde estão os terroristas? De que lado estão? Qual a diferença entre os que matam, aqui e os que matam lá?

Que possamos buscar a paz, já há muita coisa ruim neste mundo, cuidemos dos bens mais preciosos que temos que é nossa família.

Não entendemos nem um pouco do que é viver em uma guerra, do que é ser devastados, aniquilados, do que é ser chamados de terroristas.

Os inocentes pagam por aqueles que só pensam em ter poder, tantos os daqui, quanto os de lá.

E nós, muitas vezes, apenas conseguimos enxergar o lado de cá, porque não somos os pais de um terrorista, não perdemos a nossa família toda em uma guerra.

É claro que nada disso justifica uma ação extremista dos terroristas, porque uma vida tem muito valor, não importa onde.

E agora, quem são os terroristas? O que é um terrorista?

O mundo só estará em paz, quando a ganância e a procura pelo poder for aniquilada. Isso só poderá acontecer quando o homem parar de fazer inimigos e fazer amigos, transformando suas armas em enchadas. Seu ódio em amor... #Ataque #Al Quaeda #Direitos Humanos