O recente caso de canibalismo ocorrido na Flórida, cometido por um jovem universitário de 19 anos, que matou um casal e quando a polícia chegou ao local, foi encontrando mordendo e comendo parte do rosto de uma das vítimas, traz à tona questões sobre esse tipo de comportamento. Afinal, o que leva uma pessoa a cometer a prática de #canibalismo? Nesse caso, em especial, atribui-se o #Crime ao uso de drogas, uma em específico, a flakka, que causa alucinações, psicose e dá uma força incrível a quem a consome, chegando a ser definida como "força sobre-humana". 

Mas e quando não se trata do uso de drogas, e sim do comportamento da pessoa? 

Alguns casos impressionam pela forma como aconteceram.

Publicidade
Publicidade

São repugnantes. Mas ocorreram, e em alguns casos, quem os cometeu, cometeu mais de uma vez. Alguns até mais de uma ou duas dezenas de vezes. E para quem acha que Thomas Harris exagerou ao criar o personagem fictício Hannibal Lecter, sinto dizer, mas ele não exagerou, apenas reproduziu uma prática "normal" a algumas (creio que poucas) pessoas.

Canibalismo por ritual ou necessidade

 O canibalismo aparece ao longo da história, mas não como "desvio" de comportamento, e sim como ritual em algumas tribos indígenas. Há informações de que existe em Papua-Nova Guiné, uma tribo que ainda tem esse tipo de ritual.

Outros casos aparecem como resultados de longas guerras, quando as pessoas tinham dois caminhos: passar fome ou comer seus semelhantes. Há ainda um caso, que foi transformado em filme, sobre um avião que caiu na Cordilheira dos Andes, com 42 pessoas, que ficaram 72 dias a temperaturas negativas e sem condições de aquecimento e alimentação.

Publicidade

Nesse tempo, a maioria não resistiu e acabou morrendo, e os sobreviventes, para não morrer de fome, comeram a carne de quem havia morrido - somente 16 pessoas sobreviveram. 

Mas e os casos em que as pessoas praticam canibalismo por prazer?

Canibalismo por prazer (ou seja lá o que for que defina isso)

ATENÇÃO: AVISO DE CONTEÚDO SENSÍVEL

Conheça um dos canibais que horrorizou o mundo

Jeffrey Dahmer - O canibal de Milwaukee

Dentre tantos criminosos acusados de canibalismo, acho este um dos mais repugnantes. Dahmer não só praticava canibalismo, tinha em sua lista de selvagerias, casos de estupro, necrofilia e assassinatos. Ele matava, esquartejava, congelava, fritava e comia carne humana. Suas vítimas foram todas homens.

Ele foi preso, depois libertado em condicional, mas continuou comendo pessoas. Ele frequentava bares gays, onde atraía suas vítimas e as levava para sua casa. Chegando lá as sedava, praticava seus atos mórbidos, as despedaçava e separava suas partes preferidas no congelador, para fritá-las mais adiante, era a forma como gostava da carne.

Publicidade

Uma de suas vítimas fugiu e ele foi preso. Policiais contam que sua casa era um show de horrores, havia fotos de corpos destroçados, corpos dissecados e  em decomposição dentro de tonéis, além de partes humanas como cabeças, pênis e coxas. A polícia contou, por cima, 14 corpos. Nãos e sabe o número exato, estima-se que fossem 17 pessoas. Jeffrey foi preso e condenado e em novembro de 1994 foi morto pro outro preso.

Veja dois vídeos, um com a reportagem de quando Dahmer foi preso e outro uma entrevista de Dahmer.

#serial killer