A população cristã vem sofrendo com diversos ataques nesses últimos tempos, por isso Anil Gomes (nome falso para proteger a verdadeira identidade) resolveu contar a sua história na esperança de que algo seja feito para que essa situação tenha um final feliz.

O jovem vive em Bangladesch, cidade que possui aproximadamente 0,5% de pessoas que seguem o cristianismo. Ele conta que está assustado com os ataques que os religiosos vêm sofrendo e por isso resolveu dar o seu testemunho, na intenção de dar forças aos outros cristãos que podem estar passando por isso. O rapaz se formou em História em 1994 e decidiu ir morar na Arábia Saudita, onde se dedicou aos estudos voltados para o Islã.

Publicidade
Publicidade

Cada dia mais interessado no assunto, ele foi visitar um local no qual realizavam execuções públicas. Logo depois que ele chegou lá uma pessoa pediu licença e lhe entregou um folheto, nele estava escrito um pequena mensagem, que contava a passagem do Evangelho de João 3:16.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna”.

A pequena mensagem foi capaz de impressionar o jovem que conta: “Sinceramente, eu jamais tinha visto algo parecido com qualquer livro islâmico”, completando que, “No momento, eu fiquei desconfiado, mas depois entendi que a passagem fazia parte de um livro sagrado com o nome de, Injeel Sharif (novo testamento), que foi escrito muito antes do tão conhecido Alcorão”.

Depois de alguns dias que isso aconteceu, ele relata que estava em seu quarto e notou um homem vestido de branco passando por ele e dizendo: “ Você precisa tomar o seu caminho Najat (Redenção) e abrir os braços para receber Isa (Jesus)”.

Publicidade

Logo depois o homem sumiu de seu quarto, “Eu realmente fiquei com muito medo”, desabafa o jovem.

Ele preferiu guardar esse segredo, pois sabia que algumas coisas negativas poderiam vim a acontecer. No momento em que ele realizada alguns exames de doutorado, visitou 16 países muçulmanos e conta que quando estava no Iraque avistou uma pequena igreja e entrou para conversar com o pastor, depois de alguns dias visitando o local ele decidiu se batizar no dia 15 de maio de 1994.

Depois de terminar seus estudos ele voltou para Bangladesch e começou a atuar como professor de literatura árabe em uma tradicional universidade islâmica. Seu jeito começou a chamar atenção de seus colegas, pois ele não se dedicava ao alcorão, como seus colegas faziam. Um dia ele estava em sua sala lendo a Bíblia em árabe, pois ele estava fazendo uma breve comparação com a versão em bengali, sua língua nativa.

As pessoas que trabalhavam com ele ficaram espantadas com aquilo e contaram ao vice-reitor, que logo lhe chamou para uma reunião questionando se ele tinha se convertido ao cristianismo.

Publicidade

O jovem respondeu firmemente ao seu superior, afirmando que ele tinha se tornando um seguidor de Jesus. Quando Anil revelou isso, ele foi demitido imediatamente.

A história do jovem rapidamente se tornou conhecida e por isso Anil acabou sendo sequestrado por um grupo de radicais islâmicos. Ele conta que foi cruelmente torturado por dias, e tudo isso foi feito diante de sua família, as cicatrizes ainda estão em seu corpo, conta o jovem. Anil perdeu muito sangue e conta que durante um sequestro que sofreu, adormeceu e acordou depois de quatro dias, chegou a ficar 3 meses internado e quando retornou para casa, foi atacado novamente por seguidores muçulmanos da mesquita local.

Sua família ficou contra a sua decisão e por isso ele acabou sendo deserdado, foi recusado pela sociedade e começou a passar por diversas crises financeiras. Mas algo bom aconteceu na vida do jovem, ele começou a dar várias palestras em igrejas cristãs e com isso conseguiu se estabilizar financeiramente e sustentar novamente a sua esposa e seu filho. Ele conta que se preocupa com a situação de seu país, e pede para que todos os cristãos orem por seu país, e que jamais deixem sua fé para trás. #Religião