Fábio Inácio, 36 anos, pastor evangélico, publicou nesta quinta-feira, 28, uma carta aberta sobre a sua vida pessoal. O religioso é casado também com uma pessoa da igreja evangélica, outro pastor, outro homem. Isso criou muitos entraves para Fábio, que acabou vencendo cada barreira através do amor por Marcos. No texto publicado por um dos sites que faz parte do portal de notícias UOL, o religioso diz que é até conservador, seguindo o modelo apontado pela bíblia e por Jesus. Ele revela acreditar no casamento e na construção de uma família. Por isso, decidiu não viver em "pecado" e casou-se em 2009 com o homem que chama de "amor da vida". 

Fábio garante que isso sempre foi um sonho e que fica muito feliz por encontrar um homem de Deus.

Publicidade
Publicidade

Os dois decidiram fundar a própria igreja para serem melhor aceitos e darem a oportunidade dos excluídos procurarem Jesus. Assim surgiu a Igreja Cristã Contemporânea, que aceita relacionamentos homossexuais. De acordo com o pastor, ele acredita piamente que a bíblia não condena gays. Ele lembra ter sido o primeiro pastor do Brasil a ter uma união religiosa com outro homem. Na cerimônia foram 30 pares de padrinhos, 29 deles homossexuais. 

As crianças que entraram para entregar as alianças e outros acessórios para o casamento - onze crianças- eram todas criadas por duas mães e dois pais. Ao invés da tradicional marcha nupcial, a música escolhida foi a que trazia em um dos seus trechos a seguinte frase: "Nenhuma condenação há para aquele que está em Jesus". Ele e o marido tiveram então a lua de mel. O religioso lembra que desde os 14 anos é muito evangélico, que namorou uma garota por quatro anos, mas que escondeu por muito tempo um segredo, a atração por outros homens. 

Ele lembra que a igreja jamais aceitaria aquilo e que se ele revelasse a informação também não conseguiria ser pastor.

Publicidade

Os dois pastores agora adotaram quatro crianças e querem ampliar o Ministério. Tudo com o intuito de mais pessoas terem a oportunidade de serem felizes e seguirem no caminho de Deus.  #Religião #LGBT