Notícias envolvendo separações de casais famosos, considerados exemplos para muitas pessoas, chocaram o mundo recentemente. Foi o caso de Angelina Jolie e Brad Pitt nos Estados Unidos, além de Fátima Bernardes e Willian Bonner, no Brasil. Quando a triste notícia de que um casal está se separando surge, sempre nos vem à cabeça a seguinte pergunta: o que aconteceu? Será que não era possível reverter o desgaste do relacionamento sem chegar a esse ponto de pedir o #Divórcio?

Especialistas em relacionamento falaram sobre os sinais de alerta que envolvem uma relação amorosa e as maneiras possíveis de passar por essa crise conjugal e sobreviver ao divórcio.

Publicidade
Publicidade

Para os entendidos, o que acaba com o relacionamento e é um grande sinal de separação é a falta de respeito, nem mesmo discussões frequentes ou a falta de intimidade, são tão graves quanto isso. Eles acreditam que o oposto do amor não é o ódio, mas a indiferença e é isso traz a falta de respeito, desprezo e escárnio, que abrem grandes feridas em quem sofre e dificilmente isso será recuperado.

Mas segundo Liz Hann, terapeuta de casais, é possível reverter uma situação de quase divórcio quando as duas pessoas envolvidas estão dispostas a trabalhar duro para isso, mesmo que não haja mais respeito. Comecem com coisas simples, como concordando em não falarem mal um ao outro.

Arabella Russel, conselheira e especialista em relacionamento, também acha que é possível vencer a falta de respeito, mas é preciso resolver o problema da comunicação e haver uma conversa sincera e explícita para eliminar os sentimentos ruins que estavam minando o relacionamento.

Publicidade

Será que o divórcio é o melhor caminho?

Liz aconselha às pessoas que pensam em se divorciar, a antes fazerem uma análise de como seria sua vida sem a presença do parceiro/a e a pensar se o futuro seria melhor ou pior. Ele conta que, pelo que vê em seu consultório, geralmente essa é uma decisão unilateral, onde uma pessoa assumiu acabar com o relacionamento e a outra pessoa acaba aceitando a decisão por concordar que estão infelizes.

Segundo Liz, é muito improvável que a separação seja a única solução para o relacionamento. O que acontece é que num momento a pessoa acha que não vai aguentar mais, mas depois isso passa e ela repensa a relação.

Como lidar com o divórcio

Se apesar de todas as ajudas, conversas e tentativas, o divórcio for a solução, as pessoas envolvidas precisam de muito apoio, reforça Arabella. Segundo ela, mesmo que essa decisão seja uma escolha própria, é preciso estar ciente que será difícil, doloroso e triste. Recomeçar é difícil, pois envolve mudanças, pois houve uma quebra nas esperanças, aspirações e planos relacionados ao antigo relacionamento.

Publicidade

Liz ressalta também que, raramente, uma separação é amigável, mas que um casal pode tentar algumas coisas para que seja como, por exemplo, não procurar um advogado logo no início, o que torna tudo caro e doloroso, e tentar resolver as coisas entre os dois. A mediação por vezes é necessária, visto que a forma como o divórcio ocorreu pode prejudicar a possibilidade de conversas entre as partes.

Arabella ressalta que a grande preocupação do casal deve ser os filhos, que não devem ser usados como arma para atingir o outro. Ela lembra que filhos são para sempre e precisam da presença do pai e da mãe e, por isso, é preciso manter um nível mínimo de relacionamento para que eles não sejam os mais prejudicados com a decisão dos pais. #Casamento #Dicas