O assunto não é novidade: aparelhos celulares são perigos ambulantes quando o assunto é acidente por explosão. Há mais de dez anos que são relatados casos de desastres causados aos usuários de telefones móveis. Seja por falta de cuidado e atenção, até problemas técnicos e de fabricação, as explosões de celulares tem provocado lesões, de médio e grande porte, e até casos de óbitos.

A imagem de José Vânio da Silva, sendo atendido em um hospital em Maceió (AL), serviu como mais uma advertência aos usuários dos riscos dos telefones celulares. José Vânio tem 31 anos e sofreu lesões e queimaduras de segundo grau na face, após seu aparelho móvel ter explodido.

Publicidade
Publicidade

O caso aconteceu no início deste mês de setembro. A razão do acontecimento não foi divulgada, nem tampouco a marca do dispositivo, porém a imagem chocante do rapaz já se torna suficiente para alertar sobre os cuidados.

A muitos casos de incidentes graves e óbitos provocados por explosões celulares, geralmente está associado o uso do aparelho enquanto o mesmo está conectado à rede elétrica para recarga da bateria. Porém, os casos que mais provocam medo são aqueles nos quais, aparentemente, não havia motivo para algo acontecer como, por exemplo, explosões que ocorrem dentro dos bolsos das calças e mochilas.

As investigações na área da tecnologia levantam suspeitas de que, de fato, temos uma pequena bomba ambulante, da qual somos dependentes hoje para realizar todos os nossos compromissos sociais e profissionais.

Publicidade

E justamente para atender as necessidades dos usuários por um maior tempo, as empresas que fabricam os telefones móveis apostaram em um material que seja capaz de armazenar a maior carga de energia por mais tempo possível, atendendo também aos critérios de comodidade e portabilidade.

Portanto, quanto maior a capacidade da bateria e quanto menor o peso, melhor. Desta forma, o material usado na fabricação é o lítio, cuja composição reage facilmente com o oxigênio e a umidade, entrando em combustão de forma espontânea, o que torna os celulares aparelhos instáveis e perigosos. Especialistas também alertam que, em casos de necessidade de troca de peças ou da bateria dos dispositivos, tais serviços devem ser realizados apenas em locais especializados e autorizados pela marca fabricante, a fim de evitar que se usem peças falsas ou não compatíveis, o que pode aumentar ainda mais as chances da ocorrência dos acidentes. #Samsung #Celular